Formatura

Projeto Start forma sua terceira turma

105 jovens finalizaram o curso em uma cerimônia realizada na noite desta quarta-feira, no Colégio Pelotense

10 de Julho de 2019 - 22h40 Corrigir A + A -

O Projeto Start formou sua terceira turma, composta por 105 alunos. A cerimônia de entrega de certificados foi realizada nesta quarta-feira (10), no auditório do Colégio Municipal Pelotense, pela prefeitura de Pelotas. Dessa vez, Santa Terezinha, Pestano e o Centro (com sede na Escola Estadual de Educação Assis Brasil) foram os três núcleos que passaram pelas intervenções. A iniciativa das secretarias de Cultura (Secult) e Assistência Social (SAS) foi implementada em junho de 2018 e tem como objetivo ajudar jovens em situação de vulnerabilidade social a se preparar para o mercado de trabalho. O projeto, articulado pelo Banco de Oportunidades, conta com o apoio do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e integra o Eixo de Prevenção Social do Pacto Pelotas pela Paz.

A primeira turma do Projeto Start, formada por 55 adolescentes, finalizou o curso em setembro do ano passado. Já em dezembro, 77 alunos se formaram. As atividades realizadas em oficinas abordam temas como empreendedorismo, liderança, comunicação, produção de currículos e preparação para entrevistas. Assim, eles saem preparados para o primeiro emprego, um momento tão importante na vida de todos. O aumento no número de interessados, de 2018 para cá, mostra que os jovens estão correndo atrás por vontade própria, na visão de Pablo Salomão, coordenador do Banco de Oportunidades. A expansão do projeto se deu de acordo com a necessidade do público-alvo. Por isso, a importância de combater a vulnerabilidade infantil e oferecer oportunidades onde há carência delas.

Navegantes, Vila Princesa e o Centro (com sede no Colégio Municipal Pelotense) serão os próximos núcleos. O padrão de escolher dois bairros e um ponto central, portanto, será respeitado. Salomão explica que é importante ter um ponto central, pois atrai jovens de várias localidades. Na Escola Assis Brasil, por exemplo, a turma era formada por alunos oriundos do Barro Duro e do Areal. A expectativa é que o número de formandos seja cada vez maior, já que além de prepará-los para o mercado de trabalho, prepara para a vida. São dois meses de curso, sendo que o primeiro é focado na profissionalização e o segundo, na reflexão sobre a realidade de onde vivem e como transformá-la. Os adolescentes são desafiados a sair da sua zona de conforto e pensar sobre vulnerabilidade social e preconceito.

É incrível, ainda de acordo com Salomão, observar o impacto na vida pessoal de cada um. "Eles são o agora", pontua. Essa terceira turma é considerada especial, já que muitos apresentam quadros de depressão e alguns já tentaram cometer suicídio. Hoje, eles relatam estar melhores e agradecem pelas oportunidades que surgiram em seus caminhos. O coordenador citou como exemplo uma aluna da Venezuela, que iniciou o programa reservada e tímida, devido a tudo que passou até chegar à cidade. Por isso, foi feito um trabalho especial com os familiares da menina. Agora, ela alega estar se sentindo em casa.

Quem se formou
O trabalho feito por Pablo Salomão foi elogiado pela Echylen Fernandes Duarte, de 17 anos. Além de ministrar boas aulas, o coordenador incentiva seus alunos para a vida. Ela está no último ano do colégio e muito animada para se formar e, em breve, encontrar um emprego. A estudante acredita que soube aproveitar os ensinamentos passados nesses dois meses, como montar um currículo da maneira correta. "Quero mostrar para ele (Pablo) o que ele me ensinou, para ele sentir orgulho e fazer mais por mais jovens", conta Echylen. Já Vitória Nunes Barros, 18, finaliza o curso já empregada. As orientações de como se portar e agir em entrevistas foram aprendidas e utilizadas durante sua própria entrevista. Agora, ela espera ser efetivada no trabalho, já que a experiência até aqui está sendo positiva. Vitória relata que, no Projeto Start, aprendeu a conviver com outros colegas, trabalhar em grupo e deu adeus a dificuldades de se expressar, através do debate. Os seus pais, que são idosos, poderão contar com ela a partir de agora. "Vou poder ajudar, vou poder estender a mão para eles", afirma.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados