Extensão

Projeto de extensão promove simulação das Nações Unidas

Evento que ocorre neste final de semana estimula jovens a discutir grandes temas da geopolítica mundial

22 de Outubro de 2021 - 21h23 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Evento acontece neste domingo (Foto: Divulgação - DP)

Evento acontece neste domingo (Foto: Divulgação - DP)

Imagine fazer parte de uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) e debater possíveis soluções para problemas mundiais. Se não chega a ser um encontro multilateral na sede da ONU, é uma espécie de caminho para compreender melhor esse tipo de evento. Universitários e estudantes do Ensino Médio de Pelotas terão a oportunidade de participar de um exercício de simulação de assembleia da ONU a partir do projeto de extensão do curso de Relações Internacionais, da UFPel. Realizada pelo grupo chamado de Pelotas MUN, a iniciativa tem o objetivo de aproximar a sociedade do ambiente diplomático e, claro, também discutir saídas diplomáticas para desafios geopolíticos.

Os modelos de simulação da ONU, também conhecidos como Model United Nations (MUN), são eventos acadêmicos onde os participantes atuam como diplomatas, delegados ou jornalistas, representando países ou organizações dentro do cenário político. O intuito é debater e solucionar problemáticas propostas a cada comitê, entender o funcionamento das organizações internacionais e permitir aos estudantes que coloquem em prática diversas teorias dentro do campo das relações internacionais, ciência política, diplomacia e direito, por exemplo.

Além dos universitários de diversos cursos de graduação, a atividade busca também alcançar jovens que estão saindo do ensino básico. "Por se tratar de um projeto de extensão, a gente tem focado mais em escolas públicas, justamente pelo intuito de querer aproximar mais a sociedade da universidade e elevar esse tipo de debate", explica Bento Sena, um dos responsáveis pelo projeto.

As atividades ocorrem desde 2013 e neste ano terão dois comitês de simulação: Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU), que contará com cerca de 40 participantes discutindo os temas "Apoio à inclusão social dos refugiados" e "Violação dos direitos humanos nas atuais relações de trabalhado e a exploração do trabalho infantil"; e Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSC), que será simulado totalmente em inglês, com cerca de 30 participantes explorando assuntos como "Conflitos entre a Síria e a Turquia na província de Idlib" e "Interferência estrangeira na Líbia e o rompimento do embargo de armas".

A simulação acontecerá neste final de semana (sábado e domingo) e, diferentemente dos anos anteriores, ocorrerá de forma remota. Os participantes serão divididos em delegações, que representarão um Estado-Membro em um dos comitês da ONU selecionados para o evento. Durante as sessões, que terão duração média de duas horas, os estudantes serão desafiados a utilizar suas técnicas de negociação, oratória, argumentação e análise crítica para comunicar o ponto de vista e interesse do Estado representado. Ao final, são apresentadas resoluções para os problemas propostos e debatidos, dentro dos padrões das Nações Unidas.

Com possibilidade de ações reais

Este ano, o Pelotas MUN foi convidado a participar no MUN Refugee Challenge, da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). O convite instiga os participantes a elaborarem as Propostas de Resoluções, documento oficial resultante das discussões dos participantes, que surgirem desses debates e apresentá-las a um júri composto por membros da agência, jovens líderes refugiados e especialistas independentes.

Nesta edição, o comitê de Assembleia Geral das Nações Unidas participará do desafio com a discussão do tópico "Apoio à inclusão de refugiados". "Esse é o legal, a ideia de um pessoal de Pelotas, que não tem muito contato com esse tipo de realidade, e que eventualmente pode estar com ideias sendo expostas em uma organização internacional", ressalta Sena.

Mais informações

Instagram: @pelotasmun
Site: wp.ufpel.edu.br/pelotasmun
Guia de estudos: bit.ly/pelotasMUN


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados