Imunidade

Procura por vacina da gripe ainda é baixa em Pelotas

Em uma semana, pouco mais de 5% do público-alvo compareceu nos postos de saúde; meta é vacinar 119 mil pessoas

17 de Abril de 2019 - 08h20 Corrigir A + A -
O número é considerado baixo pela secretaria.  (Foto: Gabriel Huth - DP)

O número é considerado baixo pela secretaria. (Foto: Gabriel Huth - DP)

A procura pela vacina da gripe ainda é baixa em Pelotas. Nessa primeira semana de campanha, segundo levantamento parcial da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), pouco mais de 5% do público-alvo inicial compareceu às Unidades Básicas ou ao Centro de Especialidades para tomar a dose. Um balanço completo será lançado nesta quinta-feira (18) pela pasta. A imunização segue até o dia 31 de maio.

Até o dia 22, a campanha concentra-se em crianças de seis meses até seis anos incompletos, gestantes e puérperas (mulheres que deram a luz há 45 dias), com atualização da caderneta de vacinação. Nas 28 unidades catalogadas pela SMS, a vacinação atingiu 5,4% das crianças e 7,8% entre as gestantes. O número é considerado baixo pela secretaria.

Ao todo, o público a ser imunizado é de 125 mil pessoas. A meta é vacinar 95% deste grupo - o equivalente a 119 mil pelotenses.

Chefe do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Ana Alice Maciel reforça a importância de tomar a vacina: "Previne doenças sérias que podem levar a internações, e em casos mais graves até sequelas e óbito". Ela também lembra que o momento é ideal para tomar a vacina, uma vez que as baixas temperaturas ainda não chegaram.

Movimento tranquilo
Na manhã desta terça-feira (16), o movimento no Centro de Especialidades era tranquilo em função da chuva. A aplicação era feita em poucos minutos. Quatro salas prestavam atendimento simultâneo. Muitos moradores dos bairros, que possuem unidades básicas de saúde próximas de suas residências, preferem ir ao Centro para se vacinar, aumentando o movimento no local.

A aposentada Leni Bandeira, 67, se preparava para tomar sua sétima vacina. "Desde que eu fiz 60, faço todos os anos e recomendo". Moradora da rua Pinheiro Machado, no Fragata, dona Leni optou pelo Centro de Especialidades pela rapidez e disponibilidade da vacina. "Aqui sempre tem", garantiu. No dia anterior, ao ver a fila que dobrava a esquina, resolveu deixar para o dia seguinte.

Moradora da Barão de Mauá, Andressa Talawitz, 28, também optou pelo Centro de Especialidades para proteger a filha Érica, de cinco anos. "Até tem um posto mais perto, mas aqui é garantido. Sempre tem", relatou.

Informações importantes
- Até o dia 22 de abril, a prioridade é entre gestantes e crianças de seis meses a seis anos incompletos. A escolha segue orientação dada pelo Ministério da Saúde. (*)
- A partir de 22 de abril, campanha se estende para idosos, doentes crônicos, trabalhadores da saúde, puérperas e professores
(*) Este público-alvo inicial também será atendido até o dia 31 de maio.
- As vacinas estão disponíveis em todos os postos de saúde do município e no Centro de Especialidades (rua Voluntários da Pátria, 1.428)
- As unidades estão atualizando a situação vacinal de todas as pessoas no momento da imunização e orientando a população sobre o calendário de vacinas.

Público-alvo
- Crianças de seis meses até seis anos incompletos: 21.141
- Trabalhadores da saúde: 18.920
- Gestantes: 3.194
- Puérperas: 525
- Indígenas: 72
- Idosos: 49.940
- Doentes crônicos: 29.254
- Professores: 2.560


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados