Pandemia

Prefeitura de Pelotas declara calamidade pública

Novo decreto cria regras ainda mais rígidas do que as previstas na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado, para tentar barrar a disseminação da Covid-19

06 de Julho de 2020 - 20h01 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Novo decreto busca conter a disseminação da doença em Pelotas (Foto: QZ7 Filmes)

Novo decreto busca conter a disseminação da doença em Pelotas (Foto: QZ7 Filmes)

Pelotas declarou calamidade pública em todo o território, no final da tarde desta segunda-feira (6), devido ao agravamento do quadro da Covid-19. O novo decreto municipal também estabelece regras ainda mais restritivas do que as fixadas pela bandeira vermelha do modelo de Distanciamento Controlado, instituído pelo Governo do Estado. As cirurgias eletivas, com exceção das oncológicas, também ficam suspensas em função da escassez de anestésicos, fundamentais para o kit intubação utilizado nos casos mais graves do novo coronavírus.

Ao se manifestar em live, através das redes sociais, a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) explicou que será norteada pelo princípio da precaução e não poderá deixar de colocar o contexto regional na balança. A Zona Sul atingiu, nesta segunda, a marca de 20 óbitos; 14 nos últimos dez dias. A cidade de Rio Grande - que estabeleceu bandeira preta, em modelo de Distanciamento próprio - tem mantido todos os dez leitos de UTI Covid para adultos, na Santa Casa, sempre lotados e já passou a encaminhar pacientes para Pelotas.

"Sei que vou desagradar a muitos, mas esta decisão não se trata de descompromisso com as atividades econômicas", sustentou a chefe do Executivo. "Eu não quero impor um salve-se quem puder
à nossa população. Não dá pra arriscar", defendeu. Paula argumentou, ainda, que as medidas precisam ser implementadas enquanto há tempo de alinhar novas estratégias de enfrentamento à doença.

E, para isso, a prefeita lembrou que Pelotas já chegou a cinco mortes - registradas em apenas 15 dias - e tem visto crescer o número de casos e de ocupação de leitos hospitalares. Ontem à tarde, havia 19 pessoas internadas; dez em vagas de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Comerciários e atendentes correspondem a 16,7% dos infectados
Como era de se esperar, os profissionais de saúde despontam em primeiro lugar na lista de infectados do novo coronavírus, em Pelotas, com 74 diagnósticos positivos e o equivalente a 25,8% do total. O dado, divulgado pela Vigilância Epidemiológica, corresponde ao balanço apurado até a última quinta-feira, dia 2 de julho, quando a cidade tinha 283 casos confirmados.

O perfil profissional dos cidadãos que têm testado positivo ainda apontou: comerciários e atendentes - contabilizadas lojas em geral e também do ramo de alimentação - equivalem a 16,7%, com 48 diagnósticos notificados. Os aposentados vêm em terceira posição, com 29 casos (10,1%) e são mais uma razão parra preocupação do Poder Público.

Confira o que terá funcionamento proibido a partir desta terça-feira
- Comércio em geral;
- Academias, incluídas as de pilates, assim como os espaços em condomínios residenciais;
- Salões de beleza, barbearias, podologia e clínicas de estética;
- Galerias comerciais;
- Mercado Central;
- Pop Center;
- Shopping;
- Centros esportivos, quadras esportivas e ginásios em geral;
- Clubes sociais;
- Cultos religiosos, missas e similares;
- Pets shops;
- Atividade turfística;
- Comércio ambulante;
- Bares, restaurantes e distribuidoras de bebidas. Os serviços de telentrega, pegue e leve e drive-thru ficam autorizados. Em nenhum caso, entretanto, é permitida aglomeração.

* Mais rigor nas Casas geriátricas: O decreto 6.288 ainda estabelece: os lares para idosos deverão criar cronograma de acesso, de forma a restringir o fluxo de visitação, para no máximo uma pessoa por idoso, uma vez por semana.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados