Covid-19

Prefeita decreta lockdown em Pelotas

Paula Mascarenhas confirmou o fechamento das atividades não essenciais de sábado até segunda-feira

05 de Março de 2021 - 13h27 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
henrique.risse@diariopopular.com.br 

Atividades ficam suspensas das 6h de sábado até às 5h de segunda-feira. (Foto: Gustavo Vara - Ascom)

Atividades ficam suspensas das 6h de sábado até às 5h de segunda-feira. (Foto: Gustavo Vara - Ascom)

Pelotas vai entrar em lockdown. A medida mais rígida para tentar conter o avanço da pandemia da Covid-19 foi anunciada no início da tarde desta sexta-feira (5) pela prefeita Paula Mascarenhas (PSDB). O fechamento das atividades não essenciais começa a valer às 6h de sábado (6) e vai até as 5h de segunda-feira (8).

“Chegamos a conclusão que é preciso endurecer um pouquinho mais, restringir um pouco mais. Fazer um lockdown neste final de semana. Respeitando a questão da mobilidade, que a gente não pode proibir, mas restringir ao máximo as atividades. E pedindo com entusiasmo, com muita força, pedindo que as pessoas fiquem em casa, só saiam por absoluta necessidade”, afirmou Paula, em live transmitida pelo Facebook.

O Decreto permite o funcionamento das seguintes atividades:

* Farmácias e drogarias: sem restrição de horário de funcionamento, para comercialização exclusiva de medicamentos;
* Clínicas e consultórios médicos, clínicas e consultórios veterinários e odontológicos, em regime de urgência e emergência;
* Distribuidoras de gás, exclusivamente mediante tele-entrega e take away;
* Postos de combustíveis;
* Comércio e restaurantes, exclusivamente mediante tele-entrega;
* Serviços públicos essenciais, tais como: o Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep) em atividades urgentes, Secretaria de Saúde (SMS), Secretaria de Assistência Social (SAS), Guarda Municipal, fiscalização de trânsito, fiscalização em geral;
* Hospitais, postos de saúde, unidades básicas de saúde, unidade de pronto atendimento;
* Forças de segurança e forças armadas;
* Meios de comunicação: preferencialmente em teletrabalho;
* Manutenção e funcionamento de caldeiras e secadores de grãos em indústrias que desempenham atividades essenciais, utilizando para tal, no máximo, dois funcionários por empresa;
* Indústria de equipamentos médicos;
* Atividade de segurança patrimonial privada;
* Manutenção de servidores, banco de dados e data centers;
* Hotelaria e atividades congêneres;
* Atividade de suporte a hospitais, postos de saúde, unidades básicas de saúde e unidade de pronto atendimento, limitadas a exames, análises laboratoriais, e serviços que não podem sofrer interrupção na área da saúde;
* Manutenção de urgência em redes de telefonia e internet nas atividades essenciais previstas neste Decreto;
* Indústria da alimentação, cujo funcionamento ocorra 24h por dia;
* Indústria conserveira e atividades em câmaras frias;
* Serviço de inspeção nos frigoríficos;
* Comercialização de peças para veículos pesados e máquinas agrícolas, exclusivamente mediante tele-entrega;
* Comercialização de medicamentos de uso veterinário, exclusivamente mediante tele-entrega;
* Atividades relacionadas a pesquisa acerca do coronavírus;
* Transporte coletivo e individual de passageiros (táxis e transporte por aplicativos);
* Coleta de resíduos e limpeza urbana;
* Serviços portuários limitados a carga e descarga;
* Serviços funerários e cemitérios.
* Fica permitido o funcionamento dos minimercados, supermercados, macro atacados, padarias, açougues, peixarias, fruteiras e outros estabelecimentos similares, exclusivamente mediante tele-entrega. A permissão é única e exclusiva para a comercialização de gêneros alimentícios de primeira necessidade, bem como produtos de higiene e limpeza, ficando o estabelecimento sujeito a interdição em caso de violação.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados