Problema

Pontos de vacinação registram filas

Após mudança na logística, quem busca UBSs e Shopping Pelotas chega a esperar até duas horas pela imunização

22 de Outubro de 2021 - 19h29 Corrigir A + A -
Problemas têm sido recorrentes nos pontos de vacinação (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Problemas têm sido recorrentes nos pontos de vacinação (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Desde a última segunda-feira uma nova logística de vacinação contra a Covid-19 foi adotada em Pelotas, tornando Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e o Shopping pontos de aplicação. A mudança se deu dois dias após o anúncio de antecipação da segunda dose da Pfizer, durante a aplicação de terceiras doses em grupos que já completaram seis meses da imunização e primeiras doses em adolescentes. Embora a expectativa fosse de facilitar o acesso às vacinas, o resultado prático está sendo a formação de longas filas em alguns pontos, em alguns casos provocando uma espera de até duas horas e pessoas voltando para a casa sem a proteção.

Diante das recorrentes reclamações sobre o problema, na sexta-feira a reportagem do Diário Popular percorreu diferentes locais da cidade para acompanhar a vacinação. De cinco UBSs visitadas, duas apresentavam extensas filas. Na UBS Navegantes, dois profissionais realizavam os cadastros no pátio do local e outros dois eram responsáveis pela aplicação do imunizante. Mesmo com quatro pessoas envolvidas, a fila já acumulava cerca de 25 pessoas, com um tempo médio de espera de uma hora. "Está bem demorado. A primeira dose fiz no Colégio Pelotense e foi bem mais rápido. Desta vez vim na UBS e tem pessoas procurando a primeira, segunda e terceira dose e demora", relatou Lucelia Ferreira, que disse ter aguardado 1h15min para receber sua segunda dose da AstraZeneca.

Na UBS Fraget, a fila era maior. Por volta das 10h, eram 50 pessoas esperando pelo atendimento feito por apenas duas profissionais, uma realizando o cadastro e outra aplicando a vacina. Também em busca da segunda dose, Milena Herrero contou ter chegado ao local às 8h15min. Conseguiu sair imunizada somente às 10h10min. Vizinha da UBS, ela acompanha a movimentação diariamente e conta que desde o início da semana, quando foi instituída a mudança, a procura tem sido muito grande, com maior registro de fila na quinta-feira.

Nas UBS dos bairros Porto, Sítio Floresta e Lindoia o movimento era menor na manhã de sexta-feira, contrastando com os relatos do dia anterior, quando a procura foi alta. Conforme a equipe de vacinação do Sítio Floresta, até as 9h45min já haviam passado pelo local e recebido os imunizantes 70 pessoas, enquanto outras cem foram atendidas no Lindoia.

Shopping também tem concentração

Outro ponto também bastante procurado durante a semana, o Shopping Pelotas também tem registrado longas filas. Uma das pessoas que enfrentou a espera foi Daiana Maron, que por duas vezes foi ao local em busca da segunda dose da Pfizer. Na primeira oportunidade, voltou para casa sem a aplicação devido à falta de doses apenas uma hora após o início da aplicação.

"Ao chegar no local, por volta das 18h30min, recebemos o recado que as doses tinham acabado. Com isso, optei por buscar a segunda dose num outro momento", conta. Na quinta-feira, retornou e passou duas horas na fila. "Recebi a ficha número 940, o que eu considerei como tremenda sorte, pois logo depois a fila duplicou. Cheguei às 18h20min e fui atendida por volta das 20h20min. A aplicação em si foi rápida, diferente da espera", relata.

O que diz a prefeitura

Conforme a secretária de Saúde Roberta Paganini, a opção pela mudança se deu com o objetivo de ampliar o acesso dos cidadãos às vacinas e que a gerência do processo deve considerar o momento e os públicos aos quais se destina. A gestora afirma que houve dificuldade na formação de equipes com voluntários para atuar no drive-thru e nos pontos dos bairros, o que levou a campanha às UBS.

A secretária diz que, para a alteração, as equipes das unidades com maior demanda foram reforçadas com profissionais extras, além do apoio de alunos das escolas técnicas. Já no Shopping, cerca de 30 profissionais estão envolvidos, número que é variável porque parte são voluntários, estudantes e outros estão no quadro de trabalho da secretaria.

A prefeitura não descarta a possibilidade de reavaliação do método de vacinação, mas afirma que atualmente 30 pontos de imunização estão à disposição da população, em diferentes horários. A Secretaria de Saúde também trabalha com a expectativa de estabilização do movimento nos pontos com o passar dos dias, pois acredita que fatores como a recente exigência do passaporte Vacinal e a antecipação da segunda dose da Pfizer para grupos vacinados até 10 de agosto e 20 de outubro resultaram no brusco aumento pela procura.

Programação da vacinação no final de semana

Drive-thru no Centro de Eventos, das 9 às 17h

- Sábado - 1ª dose para pessoas com 14 anos ou mais

Escola Estadual Coronel Pedro Osório, das 10 às 15h

- Sábado - 1ª dose para pessoas com 14 anos ou mais e 3ª dose de pessoas com 60 anos


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados