Pandemia

Pelotas tem bandeira vermelha pela segunda semana

Classificação em nível grave para o coronavírus faz com que a cidade possa permanecer mais duas semanas com restrições rígidas

10 de Julho de 2020 - 18h32 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

44ba6438-6ab0-43b7-9837-eebeea0ddc7a

O cenário de disseminação do coronavírus e da ocupação de leitos cresce no Estado. Na décima rodada preliminar do Distanciamento Controlado, o Rio Grande do Sul tem 15 regiões com risco alto, ou seja, estão na bandeira vermelha. Pelotas novamente aparece como uma das áreas preocupantes e figura pela segunda semana consecutiva nesta classificação. Com isso, caso não recorra e tenha a cor mantida no anúncio definitivo de segunda-feira (13), a cidade terá duas semanas de restrições rígidas pela frente.

De acordo com as regras do sistema adotado pelo Estado, o fato de ter obtido por duas semanas consecutivas a bandeira vermelha faz com que, na próxima rodada do mapa, mesmo que Pelotas tenha atingido índices para uma redução de nível, precise cumprir normas mais severas. Entre elas a manutenção do fechamento do comércio e demais atividades não essenciais.

Na sexta, em reunião com empresários, a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) sinalizou que, desta vez, poderá recorrer ao Palácio Piratini para que analise uma redução na bandeira. Contudo, segundo o governo do Estado, desta vez o cenário é ainda pior que na semana anterior. Os indicadores de velocidade do avanço da Covid-19 na região, de hospitalizações confirmadas e de pacientes em leitos clínicos obtiveram bandeira preta nesta semana.

A quantidade de hospitalizações confirmadas para coronavírus nos últimos 7 dias na região aumentou 86%, passando de 22 na semana anterior para 41 na atual. No caso dos internados em leitos clínicos, o aumento foi de 67%, passando de 12 para 20.

Agravamento geral no Estado

Somando todas as regiões com bandeira vermelha, a classificação grave atinge 84,2% da população gaúcha. Na rodada definitiva do mapa anterior, eram seis regiões em vermelho, equivalente a 52,9% da população.

Além de Pelotas, a análise preliminar dos índices de propagação do vírus e de ocupação dos leitos trouxe, novamente, as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa e Palmeiras das Missões em vermelho. Essas áreas já haviam sido classificadas como alto risco na rodada anterior. Já as regiões de Taquara, Santo ngelo, Cruz Alta, Santa Rosa, Erechim, Passo Fundo, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul evoluíram de bandeira laranja para vermelha nesta rodada.

Santa Maria, Ijuí, Uruguaiana, Bagé e Lajeado são as cinco regiões que permaneceram na bandeira laranja.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados