Fique em casa

Pelotas intensifica isolamento com novo decreto

Medidas limitam acesso a supermercados e macro atacados e a permanência das pessoas em locais públicos como praças, calçadão e praia

07 de Abril de 2020 - 19h00 Corrigir A + A -
A prefeita novamente fez apelas para que a população permaneça em casa em isolamento social. (Foto: Gustavo Vara - Divulgação)

A prefeita novamente fez apelas para que a população permaneça em casa em isolamento social. (Foto: Gustavo Vara - Divulgação)

Atualizada às 19h22min para acréscimo de informações

A prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) anunciou, na manhã desta terça-feira (7), mais medidas para intensificar o isolamento e evitar aglomerações em Pelotas. As duas principais medidas dizem respeito à proibição de permanência de pessoas em locais públicos como praças, calçadão e orla da praia, além de limitar o acesso a supermercados e macro atacados em 30% do público total estipulado em Plano de Prevenção Contra Incêndios (PPCI) - determinado pelo Corpo de Bombeiros a cada estabelecimento. As regras ficam válidas por 30 dias a contar desta quarta-feira (8).

Em Pelotas até o momento são oito casos confirmados. Cinco deles com resultados positivos atestados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) e outros três em laboratórios privados. Um homem com suspeita de Covid-19 está internado no Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas e aguarda o resultado de exames. Ele tem 47 anos e não foi informado seu quadro clínico.

Na videoconferência transmitida pelas redes sociais da prefeitura, a prefeita novamente fez apelos para que a população fique em casa e anunciou outras medidas na área da saúde, como a viabilização de um hospital de campanha no Parque do Trabalhador - no prolongamento da avenida Bento Gonçalves, no popular Parque do Sesi. No local deve ser montada uma estrutura com cerca de 110 leitos clínicos.

Fique em casa
"[O decreto] responde a algumas denúncias e manifestações de preocupação da população e de empresários com a aglomeração que estava acontecendo em supermercados", exemplificou Paula, entre as justificativas para mais medidas.

Nas observações da prefeitura está a consideração que na última semana a população relaxou com as medidas de isolamento e saiu às ruas, seja no final da semana em áreas de lazer ou já no início desta semana no centro da cidade. Neste ponto está também a argumentação da medida que proíbe a permanência de pessoas em locais públicos.

A prefeita Paula Mascarenhas também orientou à população o uso de máscaras de proteção individual. Mesmo que ainda não haja casos de contaminação comunitária em Pelotas, a subnotificação e a falta de testes são considerados fatores que dificultam o real mapa da situação.

Fiscalização
Para garantir o cumprimento do que fora decretado, Paula informou que contará com a fiscalização da Guarda Municipal, Brigada Militar e fiscais da Secretaria de Gestão de Cidade e Mobilidade Urbana. A intenção inicial é de orientar a população sobre as medidas. "Hoje parece que está distante, mas isso vai chegar aqui. Se nos isolarmos agora, mais condições vamos ter de enfrentar a pandemia", alertou.

Comércio de chocolate permitido
Durante a tarde desta terça-feira, a prefeitura alterou o decreto ao permitir o funcionamento de comércio especializado na venda de chocolates. Os estabelecimentos ficam permitidos funcionar em qualquer horário. A orientação é por priorizar o tipo de atendimento tele entrega ou no formato pegue e leve. Para as lojas que optarem pelo atendimento presencial fica estipulada a regra de permitir o acesso de um cliente a cada vendedor. Fica proibida a formação de filas internas e as externas devem obedecer o distanciamento de dois metros por pessoa.

Proibido por 30 dias

Para mercados e macro atacados
- é permitida a ocupação de 30% da capacidade máxima prevista no PPCI
- ocupação de uma pessoa a cada 20 m² de área destinada à circulação de clientes
- será permitido apenas o ingresso de uma pessoa por família - ela deve ser adulta e não apresentar sintomas
- os estabelecimentos deverão controlar o fluxo das filas internas e externas, observando a distância mínima de dois metros entre as pessoas
- funcionários que prestam atendimento direto com o público deverão utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs), principalmente a máscara
- não deverá ser permitida a compra de mercadorias em quantidade superior ao habitual para evitar desabastecimento
- nos estacionamentos destes estabelecimentos só poderão ser ocupadas 60% das vagas para veículos para impedir aglomerações

Punição: Além de multa, o estabelecimento pode ser interditado e ter o alvará cassado.

Sobre locais públicos
- Fica proibida a permanência de pessoas em locais públicos como praças, parques, orla da praia, calçadões e assemelhados.
- Fica permitido apenas movimentações de caráter transitório

Punição: o descumprimento poderá determinar a prisão em flagrante delito, além de multa e sanções cíveis e administrativas. No Código Penal, o artigo 268 classifica como infração não respeitar medidas contra a propagação de doenças contagiosas.

Covid-19 na Zona Sul
O município de Canguçu confirmou, na noite da segunda-feira, o segundo caso do novo coronavírus de um morador da cidade. Ele tem 70 anos e está internado no Hospital Escola da UFPel. Não foi informado seu quadro de saúde e como se deu a transmissão do vírus. Com a confirmação, a região passa a ter 16 casos.

Casos confirmados na Zona Sul
Pelotas - 8
Rio Grande - 2
Piratini - 2
Canguçu - 2
Capão do Leão - 1
São Lourenço do Sul - 1

No Estado
Na última atualização da Secretaria Estadual de Saúde (SES), já são 555 casos confirmados e 8 óbitos. As mortes são registradas em Porto Alegre (5), Novo Hamburgo (2) e Ivoti (1). Na metade sul, a cidade com mais contaminados é Bagé com 27 casos. O município da campanha só tem menos casos que Porto Alegre (272) e Caxias do Sul (31).

No Brasil e no mundo
O Brasil já contabiliza 667 mortes e um total de 13.717 casos. A taxa de letalidade aumentou para 4,9%. Somente nesta terça-feira foram registrados 114 mortes diagnosticadas com o novo coronavírus no país.

No mundo já são 81,2 mil mortes confirmadas com o Covid-19. A Itália permanece com mais mortes e já soma 17,1 mil óbitos.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados