Coronavírus

Pelotas é inserida no mapa de testagem de vacina contra a Covid-19

Mil voluntários, preferencialmente trabalhadores da saúde do HE, serão testados na cidade

25 de Setembro de 2020 - 18h19 Corrigir A + A -
O trabalho é desenvolvido pela Sinovac Life Science e é considerado um dos mais promissores do mundo no tratamento da doença (Foto: Divulgação - DP)

O trabalho é desenvolvido pela Sinovac Life Science e é considerado um dos mais promissores do mundo no tratamento da doença (Foto: Divulgação - DP)

Pelotas foi inserida no mapa de testagem da vacina Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês e cujas fases de testes são conduzidas pelo Instituto Butantan. O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) informou que seis novos centros de estudos serão incluídos no processo, entre eles o Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Com isso, mil voluntários, preferencialmente profissionais da saúde, serão testados na cidade. 

A ampliação da testagem abrangerá outros três centros de estudos, além da UFPel: Campo Grande (MS), Barretos (SP) e Cuiabá (MT). O resultado será a ampliação da quantidade de voluntários do estudo coordenado pelo Instituto Butantan, de 9 mil para 13 mil pessoas. Outros doze centros, como o Hospital São Lucas, em Porto Alegre, já vêm sendo utilizados para os testes.

A expansão passou por aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Quem está apto a se candidatar ao estudo são os profissionais da saúde que estejam atuando no combate ao coronavírus. Nessa etapa, não haverá triagem para verificação de infecção prévia ao vírus e voluntários com mais de 60 anos poderão participar da vacinação.

O trabalho é desenvolvido pela Sinovac Life Science e é considerado um dos mais promissores do mundo no tratamento da doença, por utilizar tecnologia já conhecida e amplamente aplicada em vacinas anteriores. O laboratório já realizou testes na China, onde tem sede. Antes ainda, o modelo experimental, aplicado em macacos, apresentou resultados expressivos em termos de resposta imune contra as proteínas virais. Nas fases seguintes, a empresa farmacêutica forneceu ao instituto brasileiro doses para a realização de testes de fase III no País. "A união da experiência do Butantan na produção de imunobiológicos aos esforços da Sinovac permitirá que logo o país tenha uma vacina efetiva e segura contra a COVID-19, protegendo as pessoas e salvando milhares de vidas", afirmou Dimas Covas, diretor do orgão.

Caso a vacina seja aprovada, Sinovac e Butantan vão firmar acordo de transferência de tecnologia para produção em escala industrial tanto na China quanto no Brasil, com fornecimento gratuito através do SUS.

Ao Diário Popular, a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) manifestou . “Nos coloca no mapa da vacinação como um todo. Tendo testada a vacina aqui na UFPel, provavelmente tenhamos prioridade para as primeiras doses a serem aplicadas na população. Ela se deve ao que Pelotas vem contribuindo ao combate do coronavírus, com o estudo da UFPel.

O reitor da universidade, Pedro Hallal, destacou a importância de a instituição construir elos nacionais envolvendo a pesquisa clínica. “Há muitos anos o HE vem buscando criar um braço forte nesse segmento. Isso deve gerar muitos frutos para a cidade.” Hallal citou a intenção de criar uma pós-graduação em clínica médica dentro da UFPel.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados