Iniciativa

Para guardar as memórias de vítimas da Covid-19

Criado pela UCPel, site 'Cada Pessoa Importa' conta a história de pessoas que perderam a vida por causa da pandemia

26 de Maio de 2020 - 11h47 Corrigir A + A -
Primeiro relato é sobre Valnei Galvão Lopes, carioca, de 75 anos, que deixou dois filhos e uma neta (Foto: Reprodução)

Primeiro relato é sobre Valnei Galvão Lopes, carioca, de 75 anos, que deixou dois filhos e uma neta (Foto: Reprodução)

Dentre o número crescente de mortes no Brasil provocadas pela Covid-19, existiram pessoas donas de narrativas únicas, que encontram no site cadapessoaimporta.com.br um espaço voltado para o resgate da memória. Criado pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel), o endereço entrou no ar recentemente. O primeiro relato recebido conta um pouco sobre a vida de Valnei Galvão Lopes, carioca, de 75 anos, que deixou dois filhos e uma neta.

Compartilhar um pouco sobre os feitos, sonhos, trabalhos, habilidades de cada vida levada pela pandemia é o principal objetivo da iniciativa. O relato pode ser enviado por familiares através de vídeo, foto e texto, e ficará eternizado no site voltado para a humanização dos números, explica a responsável pelo projeto, professora Adriane Möbbs.

“A cada dia uma estatística é atualizada e à noite já esquecida. Neste sentido, o site espera registrar a história dessas pessoas para valorizar, não apenas essas, mas todas as vidas”, diz Adriane.

Ao acessar o site, é possível conhecer a história do cartunista e artista plástico carioca Valnei Galvão Lopes. Assim como os mais de 20 mil mortos, Valnei era especial. Teve uma vida repleta de experiências e seu trabalho como cartunista e artista plástico foi reconhecido em espaços culturais do Brasil e da Europa. 

Do projeto, ainda pretende-se oferecer pelo menos uma lição de esperança diante a tragédia: que as vidas perdidas sirvam de estímulo e sensibilização a uma nova conduta moral voltada à humanidade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados