Oportunidade

Os desafios do Enem em meio à pandemia

Em meio à crise sanitária causada pela Covid-19, Exame Nacional do Ensino Médio tem primeira etapa neste domingo

13 de Janeiro de 2021 - 08h44 Corrigir A + A -

Agência Brasil

Candidatos vão precisar romper outras barreiras nesta edição (Foto: Jô Folha - Infocenter - DP)

Candidatos vão precisar romper outras barreiras nesta edição (Foto: Jô Folha - Infocenter - DP)

Ponto final da vida escolar, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a principal porta de entrada dos estudantes no ensino universitário. A prova, que naturalmente já tem uma carga emocional elevada, terá como agravante o fato de acontecer em meio à pandemia da Covid-19. Apesar de inúmeras tentativas de adiamento, a primeira parte do exame acontece neste domingo (17), de forma presencial.

Na última sexta-feira, a Defensoria Pública da União e o Ministério Público Federal (MPF) entraram com um pedido na Justiça Federal de São Paulo pedindo o adiamento do Enem devido à segunda onda de infecção pelo coronavírus. A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) e Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) enviaram um ofício ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, sobre o exame. No documento, assinado por 47 entidades, é pedido o adiamento do Enem “para uma data em que os índices de transmissão e a capacidade de resposta dos serviços de saúde estejam dentro de níveis aceitáveis”.

Ainda assim, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela aplicação das provas, garantiu que os estudantes terão segurança para realizar o exame. Segundo o Inep os locais de prova foram adequados sob critérios de biossegurança, com disponibilização de produtos de higienização, procedimentos controlados para acesso ao local de prova e distanciamento entre os participantes.

O diretor do turno da manhã do Colégio Municipal Pelotense, Carlos Alberto Barz, alerta para questão psicológica dos alunos. “Nós temos jovens que não ficaram tão em casa assim, não ficaram a todo momento enclausurados, que saíram na medida do possível. Mas eu acho que tem um grupo de alunos, de jovens, que ficaram muito presos em casa, no quarto estudando, com medo, angustiados. E nesse grupo eu vejo que o efeito psicológico é mais afetado, mais visível. Então tem aquilo que normalmente acontece, que é uma preocupação com a prova, já é um estado emocional fora da normalidade. E o a mais seria isso, o momento que tu te obrigas a sair do teu reduto para ir a um espaço coletivo, dividir uma sala de aula com outros, então isso pode atrapalhar a concentração, essa angústia como eu falei”, relatou o professor.

Ainda segundo Barz, ter passado grande parte de 2020 fazendo avaliações de forma remota é outro fator que pode interferir no desempenho dos estudantes. “O aluno fica abalado em condições normais com a avaliação e o agravante seria isso, estar submetido a um ambiente coletivo, dentro de uma pandemia, estamos vivendo na bandeira vermelha. O aluno passa o ano inteiro de modo remoto, virtual, e na principal avaliação da vida dele até então é presencial. A preocupação é muito mais voltada para o sentido psicológico. Aí vai caber a cada um deles saber lidar com isso, no seu interior, na sua forma de enfrentar isso”, explicou

Dicas valiosas

A poucos dias do Enem, o professor de redação do Michigan Pré-Vestibular, Gregory Costa, ressalta a importância de manter uma rotina mais leve nessa reta final. “Apesar de tudo, esse foi o ano que mais tiveram tempo para se preparar, já que a prova seria realizada entre outubro e novembro de 2020. Tenho tentado passar para os alunos que é muito difícil não ficar mais tenso pela pandemia, não ficar mais angustiado. Mas agora é tentar manter a cabeça fria, buscar uma espécie de relaxamento e distração nos dias que antecedem a prova, todas essas dicas clichês que nesse ano se intensificam. Que eles se sintam mais confiantes porque tiveram mais tempo, é importante buscar alguma coisa positiva em um momento de tanta tristeza”, afirmou.

Gregory lembra também da importância de estar bem acostumado com a máscara, um fator totalmente novo para a realização de provas. De acordo com o professor, este edição do Enem vai ser lembrada por muitos anos. “Os alunos que participarem desta edição, que acontece em meio a uma pandemia, vão entrar para a história”, finalizou.

Principais escolhas

Destino preferencial de grande parte dos estudantes de Pelotas e região, a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), que utilizam o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) - com notas do Enem - para o ingresso de novos alunos, ainda não divulgaram como será o processo para 2021/1. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFSul), por sua vez, está com inscrições abertas até o dia 20 de janeiro. Excepcionalmente neste ano, o processo seletivo utilizará, exclusivamente, as notas obtidas nas edições de 2018 e 2019 do Enem. A escolha pela nota de um ano ou de outro é feita no momento da inscrição.

Enem impresso

Provas presenciais: 17 e 24 de janeiro
Abertura dos portões: 11h30min
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30min
Término das provas: 19h
Confira o local da prova em https://enem.inep.gov.br/participante/

Enem digital

31 de janeiro e 7 de fevereiro
Início das provas: 13h30min
Término das provas: 18h30min

Medidas de prevenção

Será proibida a entrada e a permanência nos locais de aplicação sem máscara;

Durante a identificação do participante, será necessária a higienização das mãos com álcool em gel antes de entrar na sala de provas;

Só será permitida a retirada da máscara para alimentação ou ingestão de líquidos;

As escolas serão higienizadas antes da aplicação do exame e organizadas para garantir um distanciamento social adequado;

Pessoas acometidas ou com sintomas de Covid-19 e outras doenças infectocontagiosas, nos dias de realização das provas, não devem comparecer aos locais de aplicação;

As pessoas consideradas de grupos de risco (idosos, gestantes e pessoas com doenças respiratórias ou que afetam a imunidade) receberão tratamento diferenciado


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados