Solução

O fim do esqueletão está próximo

Prédio inacabado no Centro da cidade deverá ter obras reiniciadas no próximo mês

16 de Outubro de 2021 - 09h47 Corrigir A + A -
A ideia é que o conceito do local seja de \

A ideia é que o conceito do local seja de \"condomínio clube\" (Foto: Jô Folha - DP)

Quem passa pelo Centro de Pelotas já se acostumou, ao olhar para cima, a enxergar uma obra gigante paralisada há mais de 18 anos. Porém, parece que este cenário está com os dias contados. O famoso esqueletão pelotense teve suas pendências judiciais resolvidas e a expectativa é de que a obra de finalização da torre inacabada inicie ainda este ano e seja entregue em cerca de 18 meses.

Com cerca de 28% dos trabalhos concluídos, a edificação tem 19 andares inacabados e deverá chegar a 23 depois da finalização. Em 2019, a PR1 Construtora e Incorporadora, de Caxias do Sul, adquiriu a maioria dos apartamentos diretamente dos condôminos e, até então, aguardava uma série de decisões judiciais para liberar o empreendimento para construção. Na última quinta-feira (14), os últimos trâmites foram resolvidos e o término da construção foi liberado. "As obras começarão ainda este ano", garantiu o proprietário da construtora, Marciano Perondi.

Quando projetada, em 1996, a edificação incluía dois andares de garagem, um shopping nos seis primeiros pavimentos e ainda a torre residencial acima. Inicialmente, a responsável pela obra era a Cinco Construções, que não conseguiu cumprir com o projeto e entrou em insolvência financeira. Na época, com o prédio incompleto em mãos da massa falida da construtora, outras empresas tentaram arrematar a firma. Até mesmo o prefeito na data, Eduardo Leite (PSDB), tentou fazer com que parte do local se transformasse em um centro administrativo. O projeto, no entanto, não foi adiante.

Depois de entregue, os pelotenses verão pela estrutura um empreendimento de alto padrão com 84 apartamentos de 100m² a 137m². A ideia, segundo Perondi, é que o conceito do local seja de "condomínio clube". "Serão mais de dois mil metros de área de lazer, contendo quadra oficial de padel, piscina, academia, sauna e espaço kids. Tudo isso contribuindo para a revitalização do Centro de Pelotas", frisou. O empresário informa que o investimento será de mais de R$ 20 milhões e cerca de 90% da mão de obra será pelotense.

No prédio que faz a fachada do local, onde era localizado um banco, deverá funcionar uma escola de ensinos Fundamental e Médio. Em função da parceria que a empresa tem com o curso Anglo, o educandário se chamará Colégio Anglo. "Esperamos que as matrículas comecem este ano e as primeiras turmas em março do ano que vem", falou. Inicialmente, a ideia é não utilizar todos os andares para a escola, porém há a expectativa de ampliação. "Será um colégio com ideias inovadoras, fugindo um pouco do convencional", comentou Perondi. Esta parte do prédio também foi oferecida recentemente à Câmara de Vereadores, para que abrigasse a sede do Legislativo, mas as negociações não avançaram.

Sobre as ruas laterais, o empresário confessa que há planos de, em parceria com a prefeitura, revitalizá-las. "Tudo isso trará ainda mais vida ao empreendimento", disse. Já o espaço que foi inicialmente construído para abrigar o Shopping Praça XV, não é propriedade da PR1, mas o empresário mantém contato com os donos e garantiu que a intenção é de finalizar o projeto, situado nos três primeiros pavimentos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados