Despedida

O adeus a um ícone da beleza

Vice-miss Universo em 1972, Rejane Vieira da Costa morreu aos 59 anos

27 de Dezembro de 2013 - 16h18 Corrigir A + A -
Rejane foi descoberta pelo cronista social Carlos Alberto Motta (Foto: Divulgação - DP)

Rejane foi descoberta pelo cronista social Carlos Alberto Motta (Foto: Divulgação - DP)


O Brasil perdeu um ícone da beleza e da teledramaturgia brasileira. A vice-miss Universo 1972, Rejane Vieira da Costa, morreu nesta sexta-feira (27) aos 59 anos em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Desde abril, ela se recuperava de uma cirurgia feita na perna, em decorrência de uma trombose causada por uma queda. Segundo familiares, o corpo de Rejane será cremado no Rio de Janeiro, cidade onde morava há muitos anos. Ela deixa dois filhos. Natural de Cachoeira do Sul, Rejane ganhou destaque nacional após ser eleita a segunda mulher mais bonita do universo na década de 1970.

Antes do título, ela trabalhava em uma loja de calçados de Pelotas, onde foi descoberta pelo cronista social Carlos Alberto Motta, em 1972. No mesmo ano, ela conquistou as coroas de Miss Pelotas, Miss Rio Grande do Sul e Miss Brasil, abrindo caminho para o concurso internacional realizado em San Juan, a capital de Porto Rico. A quase vitória - o título só não ficou com Rejane devido a uma polegada de diferença nas medidas com relação à vencedora, a modelo australiana Kerry Anne Wells - deu à humilde moça do interior, o status de celebridade e a transformou na quarta brasileira a ganhar o segundo lugar no miss Universo.

De volta ao Brasil, ela recebeu uma recepção apoteótica em Porto Alegre, desfilando em carro aberto pelas ruas da cidade sob os aplausos da multidão. Anos depois, ela começou a carreira de atriz nas telenovelas da Rede Globo com o nome de Rejane Goulart, atuando até 1998. Seu último trabalho na TV foi em 2011, quando interpretou a personagem Larissa, na novela Ribeirão do tempo da Rede Record.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados