Pandemia

Número de mortes por Covid-19 na Zona Sul preocupa

Total de óbitos chegou a 15 nesta quarta-feira, com nove registrados nos últimos cinco dias; Opas aponta que o pico no Brasil será só em agosto

01 de Julho de 2020 - 21h55 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Pelotas registrou mais 13 novos casos de Covid-19 nesta quarta-feira (Foto: Daniela Xu - Epidemiologia -  UFPel)

Pelotas registrou mais 13 novos casos de Covid-19 nesta quarta-feira (Foto: Daniela Xu - Epidemiologia - UFPel)

O número de mortes não para de crescer e alastra preocupação pela região. Na tarde desta quarta-feira (1º), São José do Norte confirmou o segundo óbito por Covid-19. Em Pelotas, a quarta morte foi confirmada à noite. Agora são 15 mortes na Zona Sul - nove delas registradas em um intervalo de apenas cinco dias.

Na noite de terça-feira, a cidade de Rio Grande também notificou mais um óbito em decorrência da doença. Quem teve a vida abreviada foi um homem de 36 anos, que não possuía comorbidades e estava internado no Hospital da Universidade Federal do Rio Grande (HU-Furg). É o paciente mais jovem entre os que perderam a batalha para a Covid-19, na Zona Sul.

E o pior: o pico ainda está por vir

O Brasil ultrapassou a marca trágica de mais de 60 mil mortes em função da pandemia, nesta quarta. E o mais triste: o pico da doença só deve ocorrer em agosto, se as condições de combate ao vírus continuarem as mesmas. A projeção é da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), um dos braços da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Até lá, o país já poderá ter alcançado mais de 88 mil mortes - calculam com base em modelos matemáticos que levam em conta uma série de cenários. Em coletiva à imprensa, a diretora-geral da Opas, Carissa Etienne, enfatizou que os países que decidirem abrir suas economias, devem adotar todas as medidas de cuidado, especialmente aumentar o número de testes, rastrear contatos de doentes, garantir o uso massivo de máscaras e manter o isolamento social.

A entidade ainda estima que Argentina, Peru e Bolívia também chegarão ao pico em agosto. Já Chile e Colômbia atingiriam o topo da curva dentro de aproximadamente 15 dias.

Panorama

15 mortes na Zona Sul
6 Rio Grande
4 Pelotas
2 Canguçu
2 São José do Norte
1 Piratini

*636 óbitos no Rio Grande do Sul; 22 notificados nas últimas 24 horas.

Casos confirmados e internações

Em Pelotas:
O último boletim da Vigilância Epidemiológica, emitido na tarde desta quarta, aponta: Pelotas atingiu o maior número de pacientes internados pela Covid-19. Ao todo, 12 pessoas estavam hospitalizadas; duas de outros municípios da região - um homem de 53 anos de São José do Norte e outro de 59 anos de Pinheiro Machado. Dos 12 pacientes, 6 ocupavam leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A metade também já possuía diagnóstico confirmado para a doença.

Na Zona Sul
Além de mais 13 resultados positivos em Pelotas, outras três cidades também elevaram as estatísticas. Em Rio Grande, mais 18 casos foram confirmados. Em Canguçu, foram outros três e, em São José do Norte, mais cinco. Até agora, são 702 infectados em 13 municípios da região. Confira o cenário:

Pelotas: 275
Rio Grande: 269
Canguçu: 40
São José do Norte: 36
São Lourenço: 20
Santa Vitória do Palmar: 20
Piratini: 11
Capão do Leão: 10
Arroio Grande: 6
Candiota: 5
Pinheiro Machado: 4
Chuí: 4
Jaguarão: 2

No Estado
Até as 18h30min, o total de casos no Rio Grande do Sul chegava a 28.171; 1.249 registrados em 24 horas. O número de municípios atingidos pela pandemia também subiu: agora são 405 dos 497 do território gaúcho.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados