Eleição

Novo reitor da UFPel será conhecido nesta quinta

Comunidade acadêmica tem até às 19h para votar em uma das duas chapas que integram a consulta informal

15 de Outubro de 2020 - 13h45 Corrigir A + A -
A estudante Ana Beatriz fez questão de exercer o seu direito ao voto (Foto: Jô Folha - DP)

A estudante Ana Beatriz fez questão de exercer o seu direito ao voto (Foto: Jô Folha - DP)

O primeiro dia do segundo turno da Consulta Informal para eleger os novos gestores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) passou, novamente, por alguns contratempos, como o não recebimento do e-mail com link de votação. A urna física, localizada na sede da Asufpel, teve procura semelhante com a votação do primeiro turno, e até as 15h30min desta quarta-feira (14) havia registrado 79 votos. A comunidade acadêmica pode votar até as 18h na urna e até as 19h de forma remota. Os votos começam a ser apurados nesta quinta, a partir das 19h30min, e novo reitor deve ser conhecido por volta das 23h.

Quem escolheu a urna física para depositar o voto foi a estudante de Direito Ana Beatriz Pereira. Ela conta que pela correria do dia a dia e sem saber que horário chegaria em casa resolveu passar pelo local e já cumprir com o seu dever. Além de registrar que estava votando em uma chapa que acreditava e que dividia os mesmos pensamentos, a futura advogada garantiu que votou para reforçar o gosto pela democracia. “Quando deixamos de exercer nossos direitos podem achar que não precisamos mais deles”, frisou. Sobre o recebimento da cédula de votação, ela disse que não chegou a confirmar, mas acredita que tenha recebido pela movimentação que percebeu no e-mail.

Mesmo perto do fim da votação há quem ainda esteja em dúvida. Esse é o caso da estudante de Psicologia Cristiana Vigorito. A jovem pretende votar de forma remota e recebeu o link através do e-mail, mas caiu direto na caixa de spam, assim como no primeiro turno. Ela conta que anteriormente não precisou pensar muito, já que uma professora com quem dividia muitos pensamentos e lutas concorreu. “A candidatura dela representou o sonho que eu tenho de universidade: pública e gratuita; com bolsas de ensino, pesquisa e extensão; auxílios e vínculo forte com a comunidade não acadêmica”, disse. Como mulher negra e periférica, a estudante do sétimo semestre não consegue se sentir completamente representada por nenhum dos candidatos. “Espero que quem vença, assuma o cargo democraticamente, como tem que ser. E que se tenha espaço para posições de liderança para as pessoas que não fazem parte da elite”, pediu.

O presidente da Junta da Consulta Informal, Rubens Obelar, informou que, assim como no primeiro turno, há uma equipe preparada para auxiliar os que não receberam a cédula de votação. Qualquer dúvida pode ser encaminhada ao e-mail junta.consulta.informal@adufpel.org.br ou pelo telefone (53) 99122-3801. Além disso, as duas chapas também se colocaram à disposição para ajudar a comunidade no que for preciso.

Eleito! E agora?

A reportagem conversou com os candidatos sobre qual o primeiro plano será posto em ação, caso eleitos. Paulo Ferreira, representante da Chapa 1 - UFPel Diversa, diz que o primeiro passo é apoiar a continuidade do processo para a eleição que irá acontecer no Conselho Universitário (Consun) e garantir que a nomeação irá ocorrer conforme o resultado da Consulta. “Depois, temos que organizar a equipe e o processo de transição, que deverá ser um processo tranquilo e transparente dado que, como grupo, já estamos administrando a Universidade”, disse. Além disso, destacou a importância de cravar uma luta permanente contra os cortes de recursos já anunciados para o próximo ano. “Finalmente, no primeiro dia do mandato vamos estabelecer as estratégias para começar a implementar nosso programa, dividindo as ações no período da gestão e entre os responsáveis para a realização de cada uma delas. Temos o compromisso de colocar em execução o plano de gestão escolhido pela comunidade”, completou.

O representante da Chapa 2 - UFPel Mais, Fábio Cerqueira, conta que a prioridade é restabelecer o diálogo, a horizontalidade, o respeito e a pluralidade como ferramentas de trabalho na UFPel, na relação com as comunidades interna e externa, implantando uma gestão ágil e uma administração humanista, cuidativa e inclusiva. “A maioria dos servidores técnicos administrativos estão frustrados com o tratamento opressivo que recebem da gestão. Docentes se veem em grande parte pouco apoiados, havendo mais e mais cobranças burocráticas, que engessam suas rotinas”, relatou. Outro ponto destacado pelo candidato é que estudantes têm tido pouco espaço institucional para o diálogo. “A chapa 2 significa a esperança de que em janeiro iniciamos a renovação, porque a UFPel merece mais”, garantiu, confiante.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados