Peso no bolso

Novo preço da passagem de ônibus de Pelotas será anunciado sexta

Usuário deve ficar atento; hoje, o valor está fixado em R$ 3,35

07 de Novembro de 2018 - 22h00 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Sistema tem registrado queda no número de usuários; transporte através de aplicativos e o desemprego estão entre as razões principais (Foto: Jô Folha - DP)

Sistema tem registrado queda no número de usuários; transporte através de aplicativos e o desemprego estão entre as razões principais (Foto: Jô Folha - DP)

O usuário do transporte coletivo de Pelotas deve se preparar. O novo valor da tarifa será anunciado nesta sexta-feira (9). Com base no INPC e no IGP-DI, a prefeitura irá concluir os cálculos e, através de decreto, irá fixar o preço a ser pago pela passagem, hoje de R$ 3,35. O reajuste, previsto no contrato com o Consórcio do Transporte Coletivo de Pelotas (CTCP), coincide com o momento em que o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários se mobiliza para paralisação dos serviços no dia 19 deste mês.

A categoria deve interromper as atividades para pressionar por mudanças nos intervalos dos profissionais, que se queixam de sobrecarga. O Diário Popular tentou conversar com o presidente em exercício do Sindicato, Claudiomiro Amaral, para saber detalhes das reivindicações, mas ficou sem retorno. O secretário-executivo do CTCP, Enoc Guimarães, garantiu que o tema sequer integraria a pauta encaminhada pelos trabalhadores ao sindicato patronal, para definir o novo acordo coletivo.

E, como advogado, adiantou: "Vamos tomar as medidas legais cabíveis". Na prática, quem aderir ao manifesto correria o risco de ter o ponto cortado, já que a paralisação não se justificaria, em função de as discussões sobre os intervalos não terem se esgotado. "Eles (os trabalhadores) são maiores e capazes de arcar com as consequências de suas decisões".

Relembre
Em fevereiro deste ano, um protesto em frente à empresa Santa Rosa resultou em ação judicial movida pelo Sindicato das Empresas contra o Sindicato dos Rodoviários. A entidade busca indenização para se ressarcir dos custos com a multa aplicada pela Secretaria de Transporte e Trânsito pelo não cumprimento de linhas e horários. Os empresários também alegam perda de receita pela interrupção das atividades.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados