Saúde

Novo momento, novas regras

Condomínios precisam se adequar às recomendações para evitar o contágio do novo coronavírus

29 de Maio de 2020 - 12h33 Corrigir A + A -
Cohabpel: Rejane reforçou a limpeza e indicou o uso de máscaras aos moradores (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Cohabpel: Rejane reforçou a limpeza e indicou o uso de máscaras aos moradores (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Jardim dos Álamos: desde março, Carlos já implementou ações, como o fechamento de áreas de lazer (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Jardim dos Álamos: desde março, Carlos já implementou ações, como o fechamento de áreas de lazer (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Ana Lúcia está de quarentena desde o dia 18 de março e segue as recomendações, como o uso de máscaras dentro do condomínio (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Ana Lúcia está de quarentena desde o dia 18 de março e segue as recomendações, como o uso de máscaras dentro do condomínio (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Com a pandemia global do novo coronavírus, diversos locais precisaram modificar rotinas e reestabelecer regras. Nos condomínios não foi diferente. E mesmo sendo locais privados, algumas áreas são divididas. Por isso, é necessária a cooperação de todos para lidar com o novo momento e entender que a atitude de um pode impactar diretamente na vida de outros.

Praças de recreação e salões de festas fechados. Máscaras obrigatórias. Visitas controladas. Essas são algumas das medidas que os síndicos precisaram tomar para evitar aglomerações e assim controlar o contágio. No plano um da Cohabpel, um dos condomínios mais antigos da cidade, que conta com 50 blocos e 472 apartamentos, a síndica Rejane Valverde precisou rever atitudes e tomar providências. Por lá, desde meados de março, maçanetas, corrimãos e interruptores começaram a ser higienizados com álcool 70%. “Isso não exime o morador de evitar tocar o menos possível nos objetos comuns”, completa. Outro ponto que Rejane precisou trabalhar com os moradores foi a conscientização para permanecer em casa, pedindo para que evitem a circulação nas áreas compartilhadas, que muitas vezes eram onde as crianças brincavam. Com o decreto da obrigatoriedade das máscaras, a síndica solicitou que os condôminos utilizem a proteção nas dependências comuns, tanto nos corredores dos prédios como nas áreas de circulação.

Sobre as dificuldades enfrentadas, ela conta que inicialmente foi com os idosos, que insistiam em sair de casa para funções não essenciais. “Agora a dificuldade está em fazer com que utilizem as máscaras”. Porém, destaca que são casos isolados, elogiando a consciência do restante. Ana Lúcia Rosa, de 64 anos é uma das que está dando exemplo. De quarentena desde o dia 18 de março, a advogada estranha a falta de movimento no local que abriga ela e o marido há 32 anos, mas entende que é necessário. “Gosto muito de uma rua, mas estou me adaptando à nova rotina”, diz. Em um momento em que as dúvidas predominam em todos os lares, Ana Lúcia tem apenas uma certeza: “Temos que nos prevenir”.

No residencial Jardim dos Alamos, no Fragata, a situação não é muito diferente. Uma moradora que preferiu não se identificar concorda com as ações adotadas pelo local. “Cada um precisa fazer a sua parte”, afirma, contente com a colaboração da maioria dos vizinhos. Em teletrabalho desde março, ela só sai de casa para os serviços essenciais, obedecendo as recomendações dos órgãos sanitários. O síndico do local, que conta com 200 residências, é Carlos Berne. Desde março uma série de mudanças ocorreu no condomínio. Cartazes informativos. Praça, salão de festas, academia, quadras de esporte e pista de skate isoladas com fitas. “Nossa principal função é a prevenção”, garante.

Por lá, a recomendação é que os moradores só circulem de máscaras e as visitas só podem entrar caso estejam com a proteção no rosto. “Muita gente acaba entrando aqui em função de entregas”, diz o síndico. E esse fato foi o que levou a gestão a exigir que inclusive os entregadores utilizem o novo utensílio. Ele avalia como boa a cooperação da maioria, que pareceu entender a gravidade do momento atípico.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados