Alternatia

Nesic/UCPel realiza campanha para ajudar catadores de materiais recicláveis

Campanha visa arrecadação de recursos financeiros para os catadores de materiais recicláveis de Pinheiro Machado e São José do Norte

03 de Abril de 2020 - 15h47 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

A motivação da campanha vem do vínculo que o Nesic possui há cerca de cinco anos, através do projeto Rede Reciclar, com as cooperativas da Região Sul do estado (Foto: Divulgação - DP)

A motivação da campanha vem do vínculo que o Nesic possui há cerca de cinco anos, através do projeto Rede Reciclar, com as cooperativas da Região Sul do estado (Foto: Divulgação - DP)

Frente a pandemia do coronavírus (Covid-19), o Núcleo de Economia Solidária e Incubação de Cooperativas da Universidade Católica de Pelotas (Nesic/UCPel) promove campanha solidária que visa arrecadação de recursos financeiros destinados a catadores de materiais recicláveis dos municípios de Pinheiro Machado e São José do Norte. Também participam da iniciativa Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-riograndense (IFSul).

“Além de ter uma renda muito baixa, os catadores estão em uma situação crítica, porque precisam continuar coletando, embora com muita dificuldade de comercializar e armazenar. Fora que apresentam contato direto com possíveis materiais infectados”, comenta o coordenador do Nesic, o professor Renato Della Vechia.

Projeto de inclusão

A motivação da campanha vem do vínculo que o Nesic possui há cerca de cinco anos, através do projeto Rede Reciclar, com as cooperativas da Região Sul do Estado. Surgiu a partir de uma comitiva que visitou 16 municípios, a fim de negociar com suas prefeituras a criação ou integração de cooperativas. Algumas das cidades, como Pelotas, Rio Grande e Jaguarão, não aderiram ao programa, uma vez que já dispunham de políticas para coleta dos resíduos recicláveis.

O coordenador do Nesic explica que, após reunir as cooperativas, objetivou-se que as mesmas não comercializassem individualmente com compradores de Porto Alegre. Um caminhão poderia fazer uma rota, percorrendo as unidades e recolhendo o material. A venda do volume total possibilita a obtenção de um preço mais atrativo.

As cooperativas de Turuçu, São José do Norte e Pinheiro Machado são, segundo Della Vechia, as que mais orgânicas neste processo. Porém, a pandemia afetou drasticamente o setor e desestabilizou a vida de muitos catadores. A maior parte das empresas nem estão mais fazendo compras.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados