Pandemia

Mesmo com abertura de novos leitos, UTIs seguem lotadas

A falta de profissionais para compor equipes de trabalho também gera preocupação

03 de Março de 2021 - 21h32 Corrigir A + A -
Para a abertura dos leitos, a Beneficência precisou readequar sua estrutura, mudando leitos de UTI geral, para leitos destinados ao tratamento de coronavírus (Foto: Gabriel Huth - DP)

Para a abertura dos leitos, a Beneficência precisou readequar sua estrutura, mudando leitos de UTI geral, para leitos destinados ao tratamento de coronavírus (Foto: Gabriel Huth - DP)

Começaram a funcionar na manhã desta quarta-feira (3), dez novos leitos na Unidade de Terapia Intensiva da Beneficência Portuguesa para pacientes com Covid-19. Com esse aumento, o município conta a partir de agora com 50 leitos de UTI adulto destinados exclusivamente para a doença. Poucas horas após a liberação dos novos leitos, oito deles já estavam ocupados e dois aguardavam uma liberação que foi dada no início da tarde.

Segundo a secretária de Saúde, Roberta Paganini, esses leitos são fundamentais, já que logo após a abertura, imediatamente foram ocupados. "Apesar de já estarem próximos da ocupação total, imagina se eles não existissem? Então eles são fundamentais nesse momento".

Para a abertura dos leitos, a Beneficência precisou readequar sua estrutura, mudando leitos de UTI geral, para leitos destinados ao tratamento de coronavírus. De acordo com o médico Armando Manduca, administrador do hospital, a instituição possui agora 20 leitos destinados à internação de pacientes com Covid-19. Além disso, desde o início da pandemia, a ala São Pedro disponibiliza 35 leitos de internação geral para casos de isolamento.

Leitos em Pelotas

Além das 50 UTIs, o município possui 95 leitos de enfermaria para atendimento exclusivo de pacientes positivos ou suspeitos com Covid-19. Desses, dez são leitos pediátricos. Ontem, 87 leitos de enfermaria estavam ocupados. De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, até o início da tarde de ontem, os únicos cinco leitos de UTI Covid livres, já aguardavam pacientes em regulação.

A secretária de Saúde do município diz que não há perspectiva de abrir novos leitos, pois os hospitais não conseguem compor as equipes de trabalho para ampliar o serviço. "Esses novos leitos só foram possíveis porque a Beneficência Portuguesa transformou esses leitos de UTI geral em leitos de UTI Covid, ou seja, aproveitou a equipe que já estava trabalhando de alguma maneira e complementou com outros profissionais", explicou Roberta.

Divisão dos leitos em Pelotas

Hospital Beneficência Portuguesa - 20 leitos UTI

Hospital Universitário São Francisco de Paula - 10 leitos UTI

Hospital Escola da UFPel - 10 leitos UTI

Santa Casa de Misericórdia - 10 leitos UTI

Leitos enfermaria total: 95 (10 pediátricos)

Leitos de enfermaria ocupados 87

Situação da pandemia na região sul

Caroline Hoffmann, coordenadora da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde, diz que o Estado está passando pelo momento mais crítico da pandemia, por isso é necessária a conscientização da população."A ampliação de leitos é finita. Não é só a questão do espaço físico ou de aparelhagem, a gente depende de profissionais, depende da mão de obra" alerta. Assim como a secretária de Saúde, Caroline também destaca a faltam profissionais para atender a demanda. "Por mais que se faça ampliação de leitos, as outras doenças não pararam e estamos com duas demandas (com Covid e sem Covid) altas de pacientes" finaliza.

Na Macrorregião Sul, apenas Pelotas, Rio Grande, Dom Pedrito e Bagé possuem leitos para o tratamento de casos mais graves causado pelo coronavírus. Em Canguçu, os dez leitos de UTI do Sistema Único de Saúde estão ocupados para o tratamento de pacientes com outras doenças. Caso algum morador da cidade precise de internação por complicações da Covid-19, deverá ser atendido em Pelotas.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados