Locomoção de bicicleta em Pelotas

Malhas cicloviárias de Pelotas necessitam de manutenção

Ciclovias e ciclofaixas de três das avenidas que conectam a cidade apresentam problemas de conservação

27 de Junho de 2022 - 15h45 Corrigir A + A -

Por Victoria Fonseca
web@diariopopular.com.br

Na Avenida Domingos de Almeida, alguns pontos nos quais o concreto da ciclovia está erguido causa obstáculos aos ciclistas (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Na Avenida Domingos de Almeida, alguns pontos nos quais o concreto da ciclovia está erguido causa obstáculos aos ciclistas (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Pelotas é o município com uma das maiores malhas cicloviárias do Rio Grande do Sul. Ao todo são cerca de 70 quilômetros de extensão entre ciclovias e ciclofaixas. O prolongamento é propício para que cada vez mais a população faça uso desse meio de transporte que, além de promover benefícios à saúde, também é econômico e ecologicamente eficiente. Porém as condições de algumas das vias exigem cuidado e atenção dos ciclistas em razão da falta de sinalização, da presença de buracos e relevos asfálticos.

Um dos trechos que apresenta esses problemas de forma mais evidente fica localizado na ciclofaixa da avenida Fernando Osório, no entorno da Praça do Colono. No local, onde estava sendo realizada uma obra de drenagem pelo Sanep, há diversos buracos e pedras, causando vários desníveis que podem ocasionar quedas aos ciclistas. Além disso, quem vem pela avenida, quando chega próximo à praça, não encontra nenhum tipo de sinalização indicando que a continuidade da malha passa por aquele ponto.

O autônomo Valdir Winke é uma das pessoas que utiliza a bicicleta como o principal meio de transporte. Ele conta que percorre diariamente todo o Centro da cidade pedalando. Durante o trajeto, um dos locais que ele passa é a Fernando Osório, quando chega próximo ao espaço que está em más condições de circulação, a solução é optar pela faixa dos veículos. "Às vezes tem que ir pela via dos carros mesmo. De primeiro tinha a obra, aí não dava para passar e agora está neste estado, cheio de pedras. É perigoso a gente cair", destaca "Eu ando por tudo de bicicleta, tem que se cuidar, mas com as ciclovias melhorou bastante para circular, antes quantas pessoas morriam atropeladas. Agora é mais seguro", pondera.

Outro ponto de grande movimentação da cidade é a Avenida Domingos de Almeida, no Areal. Por lá, os ciclistas podem pedalar por cerca de quatro mil metros de extensão de ciclovia. O trajeto que é agradável, por ser cercado de árvores, é utilizado tanto para deslocamentos no bairro, quanto para passeios. No local, a maior parte da via tem sinalização adequada, apesar de alguns desgastes, mas o que necessita mesmo de atenção são determinados pontos, nos quais o concreto está erguido, criando um obstáculo que pode acarretar em quedas.

O estado da ciclovia não agrada o aposentado Cláudio Luiz Merel que anda pelo espaço todos os dias. Para ele as "lombadas", que se formaram com os defeitos no concreto, são perigosas. O aposentado, inclusive, dá dicas do que deveria ser feito para melhorar as condições da via. "Isso aqui, está horrível para passar e lá mais na frente, perto do Ginásio do Areal, esses defeitos se repetem. Deveriam ter colocado uma malha de ferro embaixo do concreto pra ele não trincar, até porque as raízes das árvores também prejudicam a estrutura", avalia.

Malhas cicloviárias geram proposições no legislativo:
Na última semana, a conservação de ciclovias e ciclofaixas do município foi pauta na Câmara de Pelotas. O vereador Jurandir Silva (Psol) protocolou cinco pedidos de providências solicitando à Secretaria de Transporte e Trânsito (STT) o serviço de manutenção nas vias localizadas nas avenidas Duque de Caxias, Domingos de Almeida, Fernando Osório e na rua Professor Araújo.

De acordo com o parlamentar, as proposições foram efetuadas após ele percorrer 23 quilômetros das malhas cicloviárias e se deparar com a necessidade de revitalização em 20 pontos dos locais. "Nós anotamos o endereço e os pontos de cada ciclovia e ciclofaixa que precisam de manutenção, seja por causa de buracos ou falta de sinalização, e elaboramos um pedido de providência para cada avenida e rua", explica Silva.

O vereador ressalta ainda que pedidos de melhorias já haviam sido efetuados anteriormente para trechos da Fernando Osório, Duque de Caxias e Praça 20 de Setembro, mas que a Secretaria responsável ainda não havia dado retorno. "Como esses primeiros pedidos não foram atendidos, nós fizemos novamente as solicitações, agora com um relatório mais robusto e detalhado, porque nós entendemos que as malhas para bicicleta são muito importantes para a saúde dos trabalhadores. Além de ser uma questão econômica também, a passagem de ônibus está cara, o combustível, toda uma situação de mobilidade urbana", declara.

Após circular pelo perímetro da avenida Duque de Caxias apontado no pedido de providências, foram constatados defeitos no asfalto da ciclovia, causados por marcas de circulação, além de alguns pontos de alagamentos em razão da chuva dos últimos dias.

O que diz a prefeitura
A prefeitura informou que os cuidados das estruturas são promovidos por equipes diferentes do Executivo. Em relação à sinalização, que compete à Secretaria de Transporte e Trânsito (STT), a pasta informou o seguinte sobre os locais indicados:

- Avenida Fernando Osório: A maior parte da ciclovia está com a sinalização em dia, mas foram identificados problemas em alguns pontos. A STT fez solicitação de reparo à Secretaria de Obras de Pavimentação. Em parte da Fernando Osório, sentido bairro/Centro, onde foi feita obra do Sanep recentemente, não há sinalização, mas será instalada. Ainda em relação ao trecho da Praça do Colono, a Secretaria afirmou que as obras ainda estão em andamento e o trecho será restaurado após a conclusão das intervenções na drenagem.

- Avenida Domingos de Almeida: A sinalização é considerada em bom estado na maior parte do percurso, mas alguns cruzamentos podem ter sofrido desgaste. A STT vai verificar e fazer as correções.

- Rua Professor Araújo: A Secretaria verificou a necessidade de requalificação da sinalização horizontal e a instalação de alguns tachões no piso, mas a circulação não é considerada comprometida em nenhum trecho. A STT afirma que as melhorias serão avaliadas e realizadas.

- Avenida Duque de Caxias: Ao longo da Duque, a Secretaria observa que é preciso ter atenção na divisão entre a pista de ciclista e a de caminhada. Para melhorar essa visualização, será realizado um estudo para um melhor tipo de sinalização para o local.

Com relação a locais apontados com falhas ou desgastes no piso, como na Duque de Caxias e na Praça Vinte de Setembro, a Secretaria de Obras informou que irá fazer análise dos locais e realizar as correções nas próximas semanas.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados