Vacinação

Mais 1.944 pessoas completam a imunização contra Covid-19

Ação desta terça-feira foi destinada para aplicação da segunda dose em pessoas de 54 anos ou mais e para o público com deficiências permanentes, a partir dos 18 anos

21 de Setembro de 2021 - 21h31 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Idosos com 70 anos ou mais e pessoas com imunossupressão devem buscar a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 (Foto: Divulgação - DP)

Idosos com 70 anos ou mais e pessoas com imunossupressão devem buscar a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 (Foto: Divulgação - DP)

A vacinação para complemento do calendário vacinal segue em Pelotas. Nesta terça-feira (21), 1.944 pessoas receberam a segunda dose do imunizante que protege contra a Covid-19. No IFSul, na Praça Vinte de Setembro, a ação foi para 783 pessoas do grupo com deficiências permanentes de 18 anos ou mais, que recebem ou não Benefício de Prestação Continuada (BPC), e tenham sido vacinadas com a primeira dose da Pfizer no dia 19 de junho. Já nos quatro pontos designados nos bairros, 1.161 residentes no município, com idades a partir de 54 anos, que receberam a primeira dose da AstraZeneca no dia 21 de junho, concluíram o processo.

Imunização continua para aplicação de 3ª Dose

Idosos com 70 anos ou mais e pessoas com imunossupressão devem buscar a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19. O reforço será aplicado na quinta-feira (23), no drive-thru da vacinação, no Centro de Eventos, e no dia 27, segunda-feira, nos quatro pontos nos bairros da cidade. 

Confira o cronograma de vacinação:

Drive-thru – Centro de eventos, das 9h às 17h

- Quinta-feira (23) - 3ª dose para idosos com 70 anos ou mais e para pessoas com imunossupressão.

Bairros – das 10h às 15h

- Segunda-feira (27) - 3ª dose para idosos com 70 anos ou mais e para pessoas com imunossupressão.

Não esqueça os documentos 

Para 3ª dose

Idosos com 70 anos ou mais:

- documento de identidade;

- comprovante de vacinação que atesta que foram tomadas as duas doses ou esquema vacinal completo, com seis meses de intervalo desde a última aplicação.

Imunossuprimidos

- documento de identidade;

- novo atestado padrão, confeccionado pela Prefeitura, disponível no site do coronavírus. Esse atestado é diferente daquele exigido para a primeira dose do grupo de pessoas com comorbidades. Para emitir o documento, os pacientes devem se deslocar até uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou algum outro serviço de saúde. A esse grupo, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) orienta que o intervalo entre a segunda ou a dose única, e a 3ª dose, seja de 28 dias.

Veja os pontos de vacinação nos bairros:

- Pelotas Parque Tecnológico - avenida Domingos de Almeida, 1.785 – Areal

- Colégio Pelotense – Auditório, entrada pela avenida Bento Gonçalves – Centro (na terça-feira, 21 de setembro, a ação ocorrerá no ginásio da escola)

- Associação Rural - Casa da Amizade, av. Fernando Osório, 1.754 – Três Vendas

- Paróquia São José, na avenida Duque de Caxias, 520, no Fragata.

Tipos de imunossupressão

Confira abaixo os tipos de imunossupressão e suas descrições, de acordo com a lista de comorbidades incluídas nos grupos prioritários para administração de dose de reforço contra a Covid-19:

- Imunodeficiência Primária Grave: doenças genéticas ou erros inatos da imunidade que cursam com imunodeficiência severa e predisposição a infecções de repetição

- Doença Renal Crônica (DRC) em hemodiálise: DRC avançada em que o paciente esteja em terapia substitutiva renal

- Imunossupressão associada ao HIV: diagnóstico de HIV ou SIDA e presença de CD4 < 200 céls/mm3 

- Imunossupressão associada ao uso de corticoesteróides: uso de corticóide em doses equivalentes a ≥20 mg/dia de Prednisona ou equivalente, por ≥14 dias

- Quimioterapia para câncer: pacientes oncológicos com tratamento quimioterápico atual ou nos últimos 6 meses

- Transplante: indivíduos transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras 

- Doenças imunomediadas inflamatórias crônicas e doença inflamatória intestinal: pessoas com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas, como doenças Reumatológicas e Doenças Inflamatórias autoimunes (Artrite Reumatoide, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Espondilite Anquilosante, Esclerose Sistêmica, Polimialgia Reumática, Vasculites, etc.) ou Doenças Inflamatórias Intestinais (Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa)

- Uso de drogas modificadoras da resposta imune: uso crônico de, pelo menos, 1 das seguintes medicações: METOTREXATO, LEFLUNOMIDA, MICOFENOLATO DE MOFETILA, AZATIOPRINA, CICLOFOSFAMIDA, CICLOSPORINA, TACROLIMUS, 6-MERCAPTOPURINA BIOLÓGICOS EM GERAL (infliximabe, Etarnecept, Humira, Adalimumabe, Tocilizumabe, Canakinumabe, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacepte, Secukinumabe, Ustekinumabe), INIBIDORES DA JAK (Tofacitinibe, Baracitinibe, Upadacitibe).

Orientações importantes

A SMS informa que é preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação da vacina contra a Covid-19 e qualquer outra do esquema vacinal, incluindo a que protege da gripe, para garantir a imunização correta. 

Além disso, as pessoas que apresentarem sintomas gripais não devem comparecer na data marcada. O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É necessário aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados