Não agradou

Local da vacinação de crianças gera críticas

Pais de menores alegam que o local escolhido pela prefeitura é distante de outros bairros da cidade

13 de Janeiro de 2022 - 19h59 Corrigir A + A -
Em Pelotas, a projeção da SMS é que existam 34 mil crianças na faixa etária que será atendida pela campanha. (Foto: Ascom)

Em Pelotas, a projeção da SMS é que existam 34 mil crianças na faixa etária que será atendida pela campanha. (Foto: Ascom)

Após a longa espera para que crianças de cinco a 11 anos recebam a vacina contra a Covid-19, o sentimento agora entre alguns dos pais é de angústia em relação ao local escolhido para a imunização em Pelotas. O único ponto escolhido pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para a aplicação das doses foi a Unidade Básica de Atendimento Imediato (Ubai) Navegantes, localizada na Zona Leste da cidade. Com isso, moradores de outras regiões estão se sentindo prejudicados.

É o caso da professora Márcia Monhsam, 37, que mora no bairro Santa Terezinha, Zona Norte. Mãe de um menino de 11 anos e de uma menina de sete, ela conta que levaria em torno de 20 minutos para chegar até a Ubai. Isso caso o marido conseguisse levá-la ou chamasse um carro por aplicativo. Se a opção for pelo transporte público a demora seria maior, pois precisaria de dois ônibus. "A vacina deveria ser distribuída por bairros, pois sabemos que muitas famílias não têm condições para o transporte. Este local precisa ser repensado pela prefeitura", argumenta. Para Márcia, o ponto definido não foi o mais adequado. "Eu achei muito complicado não só pelo local, mas pelo espaço físico. Se o recomendado é o distanciamento, seria muito mais correto um local amplo e arejado."

Quem também não ficou satisfeita com a escolha foi Tuane Dias, 33. Mãe de um menino de 11 anos, ela também defende que a vacinação deveria ser levada a outros locais, possibilitando a divisão do público e deixando mais acessível. "Era para ser em outros postos de saúde ou em um local mais central como o Centro de Especialidades, porque fica ruim para quem mora longe. Eu moro nas Três Vendas e vou ter que ir lá no Navegantes", reclama. Tuane ainda diz que em sua casa todos estão vacinados, só falta o filho. "Estou apreensiva, neste momento estou gestante e ele como não fez nenhuma [dose da vacina] corre bastante risco", comenta.

Moradora do Sítio Floresta, Karina Cunha, 23, conta que levaria mais de uma hora para levar sua filha de cinco anos até o ponto de vacinação. "Para mim fica muito ruim, fora de caminho pois preciso pegar dois ônibus. Tem mães que trabalham durante a semana. No meu caso, só posso ir no final de semana. Um absurdo, se fosse no Centro seria melhor", lamenta a repositora, afirmando que, apesar disso, levará a filha até a Ubai.

SMS considera local adequado

De acordo com a secretária de Saúde Roberta Paganini, levando em consideração exigências técnicas e necessidades previstas, a Ubai Navegantes é a mais adequada para a vacinação e por isso foi escolhida. A gestora explica que o prédio contará com decoração lúdica, televisão exibindo programas e desenhos infantis e parte do mobiliário será levado para a área externa para que as crianças também possam ficar no pátio. "Estamos providenciando que o local seja o mais acolhedor possível, para que os pequenos se sintam confortáveis", pontua.

No entanto, a titular da pasta não descarta que outros pontos venham a ser usados na vacinação de crianças. Segundo ela, o processo terá início na Ubai, mas se for percebida a necessidade ou houverem prédios com as mesmas características que possam ser utilizados, será feita a ampliação. "Sabemos que existem alguns desafios que precisam ser vencidos nesse processo de vacinação das crianças, mas estamos atentos para tomar as medidas necessárias."

Em Pelotas, a projeção da SMS é que existam 34 mil crianças na faixa etária que será atendida pela campanha, que ainda não tem data de início confirmada. Na madrugada de ontem chegou ao Brasil o primeiro lote de vacinas da Pfizer destinadas a crianças de cinco a 11 anos. Nessa remessa, foram encaminhadas 1,2 milhão de doses das 4,3 milhões previstas para este mês. No Rio Grande do Sul, a expectativa é que a vacinação comece no dia 19 de janeiro.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados