Mundo

Lavar as mãos: o básico falta a 43% das escolas

Unicef e OMS revelam que em grande parte dos educandários não há água e sabão para os alunos

14 de Agosto de 2020 - 17h06 Corrigir A + A -
Para a volta das aulas presenciais, vários cuidados serão exigidos (Foto: Divulgação - DP)

Para a volta das aulas presenciais, vários cuidados serão exigidos (Foto: Divulgação - DP)

Enquanto as escolas em todo o mundo lutam para reabrir, os dados mais recentes do Programa de Monitoramento Conjunto da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Unicef revelam que 43% das escolas em todo o mundo não tinham acesso à lavagem básica das mãos com água e sabão em 2019, condição fundamental para as escolas serem capazes de operar com segurança em meio à pandemia de Covid-19.

“O fechamento mundial de escolas desde o início da pandemia apresentou um desafio sem precedentes para a educação e o bem-estar das crianças”, disse Henrietta Fore, diretora executiva do Unicef. “Devemos priorizar o aprendizado das crianças. Isso significa garantir que as escolas sejam seguras para reabrir - incluindo acesso à higiene das mãos, água potável e saneamento seguro.”

De acordo com o relatório, cerca de 818 milhões de crianças não têm instalações básicas para lavar as mãos em suas escolas, o que as coloca em maior risco de contrair a Covid-19 e outras doenças transmissíveis. Mais de um terço dessas crianças (295 milhões) são da África Subsaariana. Nos países menos desenvolvidos, sete em cada dez escolas carecem de instalações básicas para lavagem das mãos e metade das escolas carecem de saneamento básico e serviços de água.

O relatório enfatiza que os governos que buscam controlar a propagação da Covid-19 devem equilibrar a necessidade de implementação de medidas de saúde pública e os impactos sociais e econômicos associados às medidas de bloqueio. As evidências dos impactos negativos do fechamento prolongado de escolas na segurança, bem-estar e aprendizado das crianças estão bem documentadas, afirma o relatório.

“O acesso a serviços de água, saneamento e higiene é essencial para a prevenção e controle de infecções eficazes em todos os ambientes, incluindo escolas”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. “Deve ser o foco principal das estratégias governamentais para uma reabertura segura e operação de escolas durante a pandemia de Covid-19 em curso.”


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados