Pandemia

Isolamento por Covid-19 passa a ser de sete dias

O prazo aumenta para dez dias caso a pessoa não esteja com o esquema vacinal completo

28 de Janeiro de 2022 - 11h44 Corrigir A + A -
As medidas foram adotadas em virtude do expressivo aumento nos casos. (Foto: Leopoldo Silva - Agência Senado)

As medidas foram adotadas em virtude do expressivo aumento nos casos. (Foto: Leopoldo Silva - Agência Senado)

A Secretaria da Saúde (SES) divulgou nesta quinta-feira (27) uma nota informativa com novas orientações de isolamento para casos confirmados de Covid-19. O prazo, que antes era de no mínimo cinco dias, passa para um mínimo de sete, a contar do início dos sintomas ou da data do teste, para pessoas sem sintomas. Se a pessoa não esteja em dia com a vacinação, esse prazo permanece como antes: dez dias. Também volta a ser recomendado o isolamento daqueles contatos próximos de pessoas que tiveram o diagnóstico para o coronavírus.

O documento completo com está publicado na área dos profissionais da saúde no site coronavirus.rs.gov.br. As medidas foram adotadas em virtude do expressivo aumento nos casos neste mês de janeiro e para se adequar às recentes diretrizes do Ministério da Saúde quanto a testagem e do Ministério do Trabalho e Previdência sobre afastamento laboral.

É considerado como tendo o status vacinal atualizado a pessoa com esquema primário completo (1ª e 2ª dose ou dose única) e dose de reforço, se estiver no período preconizado. Nessas situações, a pessoa que tiver resultado de teste rápido de antígeno ou RT-PCR detectável para o coronavírus (com ou sem sintomas) deverá permanecer em isolamento por sete dias, desde que no final deste prazo já esteja há pelo menos 24 horas sem febre e com melhora dos sintomas.

Se a pessoa não for vacinada com nenhuma dose ou estiver com o status incompleto (uma dose no esquema de duas) ou com a dose de reforço em atraso (mais de quatro meses desde a segunda dose ou dose única), o isolamento deverá ser de dez dias, desde que no final deste prazo já esteja com pelo menos 24 horas sem febre e melhora dos sintomas.

Também passa a ser orientado que façam o isolamento aquelas pessoas com resultado de teste negativo (não reagente ou não detectável) mas que estejam com sintomas gripais, como dor de garganta, dor de cabeça, tosse e coriza. Na presença da febre (37,8 de temperatura ou mais) o isolamento (independente de vacinação) deve ser por sete dias, visto que pode se tratar de um caso de Influenza. A testagem para esse vírus da gripe não é recomendada para casos leves (não hospitalizados).


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados