Rural

Irrigação por pivô em destaque na Abertura da Colheita do Arroz

Evento na Estação Terras Baixas da Embrapa apresentará outras soluções, como manejo de integração lavoura-pecuária

23 de Janeiro de 2020 - 12h30 Corrigir A + A -
Novidade. Sistema ainda é pouco utilizado nas lavouras da Metade Sul. (Foto: Divulgação - DP)

Novidade. Sistema ainda é pouco utilizado nas lavouras da Metade Sul. (Foto: Divulgação - DP)

As vitrines tecnológicas, tradicional momento de exposição na Abertura Oficial da Colheita do Arroz, mais uma vez apresentarão as novidades e tendências das principais empresas e entidades do setor agrícola para os produtores. Serão 34 espaços de 20 empresas e entidades no evento organizado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), que chega à 30ª edição, e que ocorre de 12 a 14 de fevereiro na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão. O roteiro técnico ocorrerá pela manhã.

Segundo o coordenador do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) na Zona Sul, André Matos, as vitrines vão apresentar diversas inovações, com o lançamento de cultivares e produtos. Um dos grandes destaques será a solução de irrigação por aspersão, que estarão nas lavouras principais da Abertura Oficial da Colheita do Arroz. “Será mostrada toda a economia de água, segurança de produtividade onde tem irrigação, já que é uma tecnologia pouco empregada ainda na Metade Sul a irrigação por pivô central”, destaca.

Para o coordenador do Irga Zona Sul, o espaço vai apresentar uma diversidade de soluções aos produtores que buscam na inovação e na sustentabilidade o rendimento da produção. “Estamos satisfeitos de construir uma vitrine que faz jus ao tema do evento que é intensificação para a sustentabilidade e a nossa vitrine avaliamos como bastante intensa e diversificada e quem vier ao evento não vai se decepcionar”, salienta.

Um dos destaques, conforme Matos, será a vitrine do Irga, que vai demonstrar a evolução genética da lavoura de arroz nos 80 anos de atuação do instituto, comemorados em 2020. “Vamos mostrar também a evolução de manejo, além das projeções de futuro, com sistemas de produção onde o arroz não caminhará sozinho, mas ao lado da soja e da pecuária”.

A Embrapa vai apresentar cinco cultivares de arroz, sendo um lançamento da cultivar BRS A705, além da BRS 358, que também é um grão relativamente novo no mercado. Além disso, o pesquisador da Embrapa Clima Temperado, Giovani Theisen, lembra que a soja também terá espaço nas vitrines da empresa pública. “Em outro espaço também estamos trazendo plantas forrageiras, pensando naquele produtor que também é pecuarista, com opções de verão, com oito diferentes variedades para pecuárias de corte e de leite”, frisa. Além disso, na parte de lavoura-pecuária, a Embrapa Pecuária Sul levará exemplares brangus para mostrar animais com alto perfil especialmente para a produção de carne.

Além do Irga e da Embrapa, participam das vitrines as empresas Basf, Super N, Ihara, FMC, Bayer, UPL, Corteva, Adama, PGG Wrightson Seeds, Pioneer, RiceTec, Spraytec, Syngenta, Nidera Sementes, Lindsay e Compass Minerals, e também a UFPel e o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag).
O evento é uma realização da Federarroz com correalização da Embrapa e patrocínio do Irga. A programação está em colheitadoarroz.com.br.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados