Reunião

Hospitais de Pelotas se reúnem na SMS

Secretária municipal de Saúde começa a desenhar na tarde desta quinta-feira como serão os novos contratos e serviços prestados

09 de Outubro de 2019 - 22h28 Corrigir A + A -
Setor é um dos mais sensíveis no atendimento público (Foto: Paulo Rossi - DP)

Setor é um dos mais sensíveis no atendimento público (Foto: Paulo Rossi - DP)

Uma reunião marcada para a tarde desta quinta-feira (10) reunirá os quatro maiores hospitais de Pelotas na Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Primeira reunião conjunta, cada instituição já foi visitada individualmente pela nova secretária, Roberta Paganini, desde que assumiu a gestão da pasta, no início de setembro. Às 14h desta quinta, estarão reunidos na pasta Hospital Beneficência Portuguesa, Santa Casa de Misericórdia de Pelotas, Hospital-Escola UFPel/Ebserh e Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP).

Em recente reunião na Câmara de Vereadores, dentro da Comissão de Saúde, foi informado que mais de 900 pessoas aguardam atendimentos com traumatologistas, além de grande fila existente para o setor de urologia, entre outras especialidades. São dois exemplos de serviços prestados por hospitais e sinônimos de problemas na cidade.

Entre as direções dos hospitais, a reunião é vista como uma apresentação de trabalhos e do modelo de gestão adotado pela nova secretária. Sobre demandas e reivindicações a serem levadas à responsável pela gestão da saúde pública, a maioria disse que ainda é cedo para qualquer tipo de cobrança - que seriam repassadas à pasta em momento oportuno.

"Já me reuni individualmente com cada um dos hospitais. Como um dos objetivos da minha gestão é ser horizontal, ter participação, ser uma construção coletiva, vamos começar a fazer estas reuniões com todos os hospitais para que venham a ser periódicas daqui pra frente", adiantou Roberta, nesta quarta-feira, quando cumpria agenda em Porto Alegre.

Diretrizes de trabalho
A superintendente do Hospital-Escola, Samanta Madruga, informou que a reunião marcada pela SMS tem a finalidade de apresentar as diretrizes de trabalho e ouvir expectativas e necessidades dos hospitais. "Nossa maior expectativa é em relação à regulação, uma vez que estamos trabalhando muito internamente para que nossos indicadores de tempo de permanência e espera por exames reduzam significativamente. Temos condições de ter um sistema mais ágil e resolutivo, com o empenho e engajamento de todos os envolvidos", declarou.

Numa proposta de unir prestadores de serviço, a secretária explica que a reunião pretende avaliar particularidades de cada hospital, mas sobretudo a necessidade de olhar a saúde como um todo. "Essa vai ser a primeira, onde eu pretendo colocar essa forma de gestão que eu gostaria de fazer e a partir daí combinar reuniões periódicas, talvez bimestrais", sinalizou a gestora. Reuniões periódicas individuais com cada instituição também.

A ideia é unir, além do nível operacional, questões ligadas à gestão da saúde no município. A primeira reunião também deve ser um ponto de partida para o começo das discussões da nova contratualização de serviços. "Os contratos na maioria vencem em dezembro ou janeiro. Vamos começar a estabelecer este diálogo para saber como vamos construir esta contratualização", disse, ainda sem dar mais detalhes.

Início de diálogos
Através da assessoria de imprensa, o HUSP informou que participará da audiência como ouvinte e "vai colocar as suas demandas de forma oportuna quando e se questionado", escreveu. A Beneficência Portuguesa também informou, através de assessoria, que vai para a reunião para conhecer o trabalho que a pasta quer desenvolver com a nova gestora. 

A Santa Casa de Misericórdia, que também enfrenta uma grave crise financeira, confirmou presença na reunião. No entanto, o hospital não adiantou as suas principais demandas e expectativas com o encontro.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados