Pet

Gatos não podem ficar em jejum prolongado

É importante manter uma rotina saudável com alimentos de alta qualidade e palatáveis para os bichanos

20 de Maio de 2022 - 16h13 Corrigir A + A -
 Felinos costumam ser mais receptivos aos alimentos oferecidos em um local fixo (Foto: Divulgação - Pixabay)

Felinos costumam ser mais receptivos aos alimentos oferecidos em um local fixo (Foto: Divulgação - Pixabay)

Que alguns gatos são exigentes e dão trabalho na hora de comer quase todo mundo já sabe. Mas é muito importante não os deixar sem alimentação por muito tempo, pois o jejum prolongado é prejudicial à saúde desses pets.
“Esse é um ponto de atenção porque o jejum por um período longo, que ultrapasse um ou dois dias, pode desencadear nos gatos a lipidose hepática, uma degeneração do fígado capaz de evoluir para a morte no animal”, explica o veterinário Flavio Silva, mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet.
Para evitar esse quadro, é importante manter uma rotina de alimentação saudável. Aos gatos de apetite seletivo, é importante oferecer um alimento de alta qualidade que seja palatável e ter paciência com o pet. “O que não pode ser feito é adotar uma conduta severa e deixar o animal sem comer na tentativa de que, após dias de jejum, ele acabe cedendo e coma o que tem disponível no potinho”, orienta o profissional.

Dicas para evitar o jejum prolongado do gato
Um alimento altamente palatável é determinante para estimular o apetite do pet. O sabor atraente pode ser encontrado em produtos de alta qualidade formulados com proteínas, gorduras e demais nutrientes provenientes de fontes nobres. São alimentos que fazem bem para a saúde e ainda agradam ao paladar do gato.

O tutor deve sempre oferecer alimentos que atendam às especificidades do pet, considerando faixa etária, se é castrado ou não e se tem pelos longos, por exemplo. Outros fatores também podem influenciar a ingestão do alimento, como textura e tamanho dos grãos.

Para oferecer um novo alimento ao gato, é importante sempre fazer a troca gradual seguindo a recomendação do fabricante e do veterinário, pois a mudança repentina pode causar transtornos digestivos e dificultar a aceitação do novo produto.

Gatos são mais receptivos aos alimentos quando oferecidos em ambiente adequado e familiar. Por isso, o ideal é ter um local fixo para a alimentação e nunca colocar a vasilha de comida perto da caixinha de areia onde ele faz suas necessidades, pois isso prejudica a aceitação.

Gatos são animais de hábitos noturnos e muitos podem querer comer ao longo da noite. Por isso, uma boa medida é deixar o alimento disponível durante a madrugada.

É interessante acostumar o pet a ser alimentado por diferentes pessoas, para evitar que ele fique sem comer na ausência do tutor.

O alimento úmido é uma excelente opção para os gatos com apetite seletivo ou em fase de transição alimentar, já que sua principal característica é a alta palatabilidade. Sua textura macia também facilita a ingestão.

“O gato com apetite seletivo deve se sentir o mais confortável e estimulado possível para aceitar o alimento. Em caso de jejum por mais de 24 horas, o tutor deve consultar um veterinário sem demora. Só ele poderá indicar o melhor tratamento, que varia de acordo com cada caso”, finaliza Silva.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados