Vegetação

Fumaça de incêndio no Uruguai cobre municípios da Zona Sul

Fogo atinge o Parque Nacional Santa Teresa, a mais de cem quilômetros do Chuí, mas a densa nuvem de fumaça já foi vista em várias partes da região

20 de Fevereiro de 2020 - 16h47 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Estrada foi coberta pela fumaça vinda do parque uruguaio (Foto: Guilherme Rockett - Especial - DP)

Estrada foi coberta pela fumaça vinda do parque uruguaio (Foto: Guilherme Rockett - Especial - DP)

Região da Lagoa Mirim, a 20 quilômetros de Jaguarão, foi atingida na manhã desta quinta-feira (Foto: Guilherme Rockett - Especial - DP)

Região da Lagoa Mirim, a 20 quilômetros de Jaguarão, foi atingida na manhã desta quinta-feira (Foto: Guilherme Rockett - Especial - DP)

Um incêndio no Parque Nacional Santa Teresa cobriu de fumaça uma área extensa da Zona Sul do Estado nesta quinta-feira (20). O fogo consome uma área do parque, localizado no departamento de Rocha, no Uruguai, a cerca de 140 quilômetros do Chuí. A densa cortina de fumaça foi percebida em municípios como Pelotas, Arroio Grande, Jaguarão, Canguçu, Morro Redondo, São Lourenço do SulCapão do Leão e Pedro OsórioDe acordo com os bombeiros de Santa Vitória do Palmar, uma equipe uruguaia atua no combate às chamas, que atingem uma área de vegetação.

Na região da Lagoa Mirim, no balneário de Rio Branco, a 20 quilômetros de Jaguarão, os moradores se assustaram com a nuvem espessa de fumaça, trazida pelo vento forte. "Pensei até que ia chover. Só quando a nuvem chegou percebemos que era fumaça", relatou o jornalista Guilherme Rockett. Jaguarense, ele frequenta o local desde a infância e ficou surpreso com a situação. "Não conseguíamos ver o fim das ruas. Foi preciso andar com a luz do carro ligada", completou.

O vento Sul também trouxe a fumaça até Pelotas, distante mais de 300 quilômetros do parque. Em áreas mais descampadas ainda era possível perceber a densidade da cortina ao longo das ruas durante a tarde. De acordo com o MetSul, a nuvem ainda pode alcançar pontos mais altos, ao Norte e Leste do Rio Grande do Sul.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados