Renovação

Finalizada a pintura da fachada do clube Caixeiral

Restauração do prédio já custou quase meio milhão de reais e é feita com recursos próprios da instituição

04 de Maio de 2021 - 08h33 Corrigir A + A -
Nesta terça-feira (4) começa a recuperação das 60 aberturas do prédio (Foto: Jô Folha - DP)

Nesta terça-feira (4) começa a recuperação das 60 aberturas do prédio (Foto: Jô Folha - DP)

Com sua estrutura centenária de três andares, o prédio do Clube Caixeiral, localizado no entorno da praça Coronel Pedro Osório, está passando por reformas. O processo é realizado em etapas e já possibilitou a construção dos novos banheiros e da cozinha no local, bem como a recuperação de partes do assoalho e também a troca da fiação elétrica interna. Na última semana foi finalizada a pintura da fachada, dando mais cor e vida à edificação. Nesta terça-feira (4) começa a recuperação das 60 aberturas do prédio.

O presidente da instituição, Victor Hugo Siqueira, 33, conta que o processo de pintura da parte externa deveria durar apenas três ou quatro meses, mas ao iniciar a lavagem e a limpeza do local, partes do reboco começaram a cair, exigindo mais trabalho e tempo. O procedimento também acabou demorando devido às questões financeira e histórica, já que o prédio foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2018 como Patrimônio Material Nacional e, por isso, devem ser mantidos os traços originais da estrutura. Nos registros do clube, a última vez que a fachada recebeu pintura foi na comemoração do seu centenário, há 42 anos. O investimento nesta etapa é de R$ 200 mil.

O telhado do prédio também está passando por reformas. Além da colocação de todo madeiramento novo, algumas telhas precisaram ser substituídas. Pela necessidade de seguir com a estética original, o estoque do material em Pelotas foi insuficiente, necessitando a vinda de telhas de Rio Grande. Esta parte também já deveria ter sido entregue, mas os prazos foram aumentados devido à pandemia, que acabou atrasando a execução. Já na fase final, a reforma do telhado - com custo de R$ 200 mil - deve ser entregue em dois meses.

A parte interna também receberá pintura, mas ainda não há previsão. Primeiro é necessário finalizar a recuperação das aberturas e a obra no telhado.

Sócios seguem ao lado do clube

A situação financeira do clube é classificada como estável pelo presidente. Segundo ele, apesar da queda da receita da instituição, devido à impossibilidade de alugar o local para eventos, não houve uma diminuição significativa no número de associados pagantes (apenas oito deixaram o clube). Atualmente, quase 300 pessoas estão ligadas ao Caixeiral e mantêm os pagamentos mensais.

O investimento na reforma, iniciada há quatro anos, está se aproximando de meio milhão de reais com mão de obra, material e outras despesas - valor que é custeado integralmente com recursos próprios do clube. Para isso, segundo Siqueira, foi necessária uma reorganização financeira, além da venda de um imóvel, o que possibilitou o pagamento das dívidas existentes e ainda o custeio de boa parte das intervenções.

O presidente reitera que não há injeção de dinheiro público ou doações, somente foram utilizados nas obras recursos oriundos do próprio Caixeiral. A única verba federal que poderia ter contribuído se justifica pela certificação do clube como Patrimônio Material Nacional, que ocorreu em 2018, mas até agora nada foi recebido.

História de Pelotas

Fundado em 1879, sob a liderança do imigrante espanhol Manuel Morales, o Clube Caixeiral completa este ano 142 anos de existência. É o clube social mais antigo de Pelotas e a franquia Caixeiral mais antiga do Rio Grande do Sul. Atualmente, apenas 16 estão em atividade. A associação também é um dos clubes sociais mais antigos em funcionamento no país. "Isso nos enche de orgulho, porque uma associação que passou por tantas dificuldades está conseguindo sobreviver em meio a uma pandemia", comenta Siqueira.

O presidente destaca ainda a importância do Caixeiral para a cidade e lembra que foi dentro do clube que surgiram outras instituições, como o Brilhante, o Esporte Clube Pelotas, a União Gaúcha Simões Lopes Neto, o Dunas Clube e Academia Pelotense de Letras, entre outros. A primeira Miss Universo brasileira, Yolanda Pereira, também foi descoberta dentro da associação. "O Clube Caixeiral é importante no desenvolvimento da cidade na parte histórica, cultural, educativa e esportiva. É mais do que um clube social", finaliza.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados