Abastecimento

Falta d’água já atinge 500 famílias na zona rural

Distribuição por caminhão-pipa do Sanep foi ampliada em 455% para atender a demanda; antes da seca, 90 pontos eram atendidos

23 de Maio de 2020 - 10h29 Corrigir A + A -
Reforço: serviço passou a ser realizado durante os três turnos (Foto: Angelica Mengue - Sanep)

Reforço: serviço passou a ser realizado durante os três turnos (Foto: Angelica Mengue - Sanep)

Beneficência é um dos pontos atendidos pelo abastecimento (Foto: Angelica Mengue - Sanep)

Beneficência é um dos pontos atendidos pelo abastecimento (Foto: Angelica Mengue - Sanep)

A grave seca que atinge grande parte do Rio Grande do Sul _ apontada como a mais severa da história para a região _ segue trazendo impactos negativos à população. Em Pelotas, a colônia foi a primeira a sentir os seus reflexos, ao ver secar cacimbas, arroios e riachos, e sofrer com a falta de água para seus moradores e animais.

Em função disso, o Sanep aumentou em 455% a distribuição com caminhão-pipa nas últimas semanas, passando de 90 para mais de 500 o número de famílias atendidas. Apesar do acumulado da última quinta e sexta, cerca de 38 mm, e mesmo que se confirme a previsão de cem mm para sábado, a situação pouco se altera.

Nesta semana, o serviço passou a ser feito 24 horas por dia, por dois caminhões extras disponibilizados para o abastecimento, sem custo de transporte aos moradores. Ao todo, seis caminhões da autarquia _ um próprio e cinco alugados _ distribuem diariamente 140 mil litros de água (em média, um milhão por semana), percorrendo entre 90 e cem quilômetros todos os dias. Segundo o diretor-presidente do Sanep, Alexandre Garcia, o planejamento foi feito para tornar mais rápida e eficiente a chegada da água potável aos oito distritos da zona rural.

“O objetivo da distribuição noturna é conseguir atender esta crescente demanda, direcionando, principalmente a água aos locais que a recebem com maior quantidade, com caixas de cinco e dez mil litros”, explica. O diretor lembra que nem toda a colônia precisa desta distribuição, uma vez que parte dela é abastecida pela Estação de Tratamento de Água (ETA) Quilombo, criada a partir da antiga Represa do Quilombo e responsável por atender cerca de 600 propriedades da Vila Nova, Colônia Francesa, Bachini e Ponte Cordeiro de Farias. 

Água também chega a hospitais e órgãos públicos

O abastecimento com caminhão-pipa também está presente na zona urbana durante a estiagem, chegando a 20 unidades de saúde, forças de segurança e órgãos públicos, como a Beneficência Portuguesa, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Areal e o Pronto-Socorro. Na Santa Casa, exemplo de onde o abastecimento ininterrupto é essencial, o Sanep levou 360 mil litros de água potável nas últimas duas semanas. No mesmo período, 120 mil litros foram distribuídos no Presídio Regional de Pelotas.

Como fazer o cadastro

Os moradores da colônia que ainda não estão cadastrados e desejam integrar a rota do caminhão-pipa precisam procurar o Sanep através do atendimento online pelo whatsapp no número (53) 98417-0008 ou podem contatar a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), que atende pelos números 3225-3155 e 99144-2363 (WhatsApp) ou pelo e-mail sdr@pelotas.rs.gov.br. Será cobrada uma taxa correspondente à quantidade de água que cada imóvel solicitar. O transporte não terá custos. Cada mil litros equivale a R$ 4,93. Depois de enviado o comprovante de pagamento da guia, o cadastro é encaminhado ao Sanep para integrar a rota do serviço.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados