Imunização

Estado ultrapassa a marca de 2 milhões de doses aplicadas contra a Covid-19

RS atingiu este índice durante este sábado, sendo 1.639.168 primeiras doses e 379.905 como segunda

10 de Abril de 2021 - 16h36 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Do Centro de Imunização Viegas, em Camaquã, partem as vacinas para 31 localidades do município (Foto: Divulgação - DP)

Do Centro de Imunização Viegas, em Camaquã, partem as vacinas para 31 localidades do município (Foto: Divulgação - DP)

O Rio Grande do Sul ultrapassou, neste sábado (10), a marca de 2 milhões de doses de vacina contra o coronavírus aplicadas na população. Às 10h, o painel de acompanhamento mantido pela Secretaria da Saúde registrava 2.014.073 doses aplicadas – 1.639.168 primeiras doses e 379.905 como segunda.

“Em abril, com a chegada das remessas dos dias 2 e 8, mais de 550 mil doses foram destinadas a completar o esquema vacinal dos gaúchos, e isso está ocorrendo neste momento em muitos municípios gaúchos, graças a uma mobilização nunca vista. Garantir a segunda dose às pessoas é garantir saúde, um direito do cidadão. Além disso, a segunda dose aplicada nos aproxima, cada vez mais, da superação dessa pandemia que já nos causou tanta dor”, explica a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

O Ministério da Saúde enviou uma remessa de 290 mil vacinas do dia 26 de março. Menos de 15 depois, o Rio Grande do Sul atingiu o patamar de 2 milhões de doses aplicadas. 

“Outro dado positivo é que, no dia 22 de março, tínhamos aplicado 1 milhão de vacinas. Em menos de 20 dias, chegamos a 2 milhões, o que muito nos estimula, porque o ritmo é célere e a maioria dos municípios atendeu nosso apelo pela agilização da vacinação. Prova disso é que o Rio Grande do Sul está em primeiro lugar, pelo segundo dia consecutivo (8 e 9/4), no ranking do Estados que mais vacinaram no país”, afirma a diretora do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde, Ana Costa.

O Estado recebeu 12 lotes que totalizam pouco mais de 3 milhões de vacinas e não há nenhuma retenção de doses. Assim que chegam ao aeroporto, na capital, são transportadas à Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), onde são separadas em lotes, embaladas e enviadas às 18 Coordenadorias Regionais de Saúde espalhadas pelo Estado.

Graças ao apoio de aeronaves das forças de segurança, as vacinas chegam às coordenadorias em menos de 24 horas após o desembarque. Na Ceadi fica apenas uma reserva técnica para o caso de reposição de doses em algum município em caso, por exemplo, de dano no transporte ou queda de energia.

Em Camaquã, por exemplo, são organizados 12 roteiros contemplando 31 localidades, envolvendo 65 profissionais. A mais distante fica a 66 quilômetros de estrada de chão da sede do município. Os lotes são recebidos no Centro de Imunização Viegas, onde profissionais acondicionam as vacinas em caixas térmicas com termômetro e em outra colocam gelox, se for necessário repor para manter a temperatura adequada durante o trajeto.

Motorista, enfermeira, vacinadora, técnica em enfermagem e agentes comunitários de saúde compõem as equipes. Eles se dividem, entre outras tarefas, no preenchimento de planilhas e dos cartões de vacina e na aplicação do imunobiológico contra Covid-19. Neste sábado (10/4), a quantidade prevista para aplicação no interior de Camaquã é de 2 mil doses.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados