Movimento

Esperas e reclamações são rotina na agência da CEEE em Pelotas

Usuários alegam que a companhia, privatizada no ano passado, não tem dado assistência às suas demandas

13 de Janeiro de 2022 - 08h50 Corrigir A + A -
José Bento e Maria do Carmo recorreram à agência pela 10ª vez. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

José Bento e Maria do Carmo recorreram à agência pela 10ª vez. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Por Gabriela Borges
web@diariopopular.com.br

Mesmo com os termômetros marcando 30ºC na manhã de quarta-feira (12), consumidores pelotenses formavam uma longa fila do lado esquerdo da agência da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) Equatorial, localizada na rua Lobo da Costa, no Centro. O aumento expressivo no valor das contas dos moradores da zona rural em janeiro era uma das reclamações mais recorrentes.

A alta aconteceu porque, como o limite dado pela CEEE para a Revisão Cadastral de quem reside no campo venceu no dia 31 de dezembro, aqueles que não compareceram às agências com a documentação comprobatória no prazo tiveram o benefício cancelado, causando aumento na última leitura. É o caso do verdureiro e pedreiro Flávio Heling, de 49 anos. Morador de Triunfo, quarto distrito de Pelotas, ele relata que sua conta não passava de R$ 90,00, mas em janeiro a fatura veio no valor de R$ 210,00.

O mesmo ocorreu com a trabalhadora rural Celoir Gouveia, de 59 anos, residente da colônia Santo Antônio, sétimo distrito de Pelotas. Ela explica que costumava pagar R$ 70,00 todos os meses. Com o aumento da luz, devido à tarifa de bandeira vermelha, e o reajuste tarifário de 14,62% para consumidores da CEEE Equatorial, em vigência desde 22 de novembro de 2021, em dezembro sua conta passou para R$ 87,49. Já em janeiro, com o fim do benefício tarifário da zona rural, a fatura pulou para R$ 145,46, assustando a agricultora.

Contatada, a CEEE informou que os usuários podem reaver o benefício a qualquer momento, mesmo após o prazo estabelecido para a presença dos clientes desta classe para o recadastramento, desde que apresentem presencialmente todos os documentos necessários em uma agência. A condicional, no entanto, é a perda do desconto durante o período em que ainda não for efetuado este processo.

A CEEE Equatorial também informa que, desde abril de 2021, os consumidores que dispunham do benefício foram notificados com avisos em suas faturas, com a seguinte mensagem: "Evite a perda do seu benefício tarifário. Procure a CEEE Grupo Equatorial até 31/12/2021 e atualize seus dados".

Atendimento deixa a desejar

No local, o Diário Popular também se deparou com diversas queixas dos presentes sobre dificuldades em solucionar problemas com a companhia, seja de modo remoto ou presencial.

Uma das primeiras da fila, a dona de casa Lara Braga, de 38 anos, aguardava há mais de uma hora por atendimento, depois de muitas tentativas sem sucesso pelo telefone e pela internet. Ela explica que desde o dia 18 de fevereiro de 2021 busca, de casa, a troca da titularidade de sua conta. Sem conseguir, foi obrigada a se deslocar até a sede física, que tem aberto de segunda a sexta, das 8h às 17h.

A condição também foi sentida pelo desenvolvedor de sistemas Maiquel Zitzke Fischer. No dia em que completava 41 anos, ganhou como "presente de aniversário" a espera na fila, na tentativa de solicitar uma ligação nova em um terreno. Para ele, que empenhou-se diariamente por duas semanas para fazer o pedido de modo online, o sistema da companhia é falho.

Já o casal José Bento Morossino Neto, 65, e Maria do Carmo Morossino, 61, estava recorrendo à agência pela décima vez. Em tom de indignação, o mecânico explica que desde outubro também tenta trocar a titularidade da conta de luz de sua residência, localizada no Santa Terezinha, mas a companhia diz não encontrar o endereço. Em virtude disso, desde o dia 4 de outubro Maria do Carmo tem anotado, religiosamente, o consumo diário da casa. "Para cortar é ligeiro. Eles encontram o endereço rapidinho", desabafa a professora.

Questionada sobre os atendimentos, a CEEE Equatorial pediu desculpas aos clientes sobre a visita de técnicos após solicitações. A companhia, que em sua parte de distribuição agora pertence ao Grupo Equatorial, apontou que está readequando seus serviços após adquirir a concessão do Rio Grande do Sul.

Atendendo cerca de 1,8 milhão de pessoas em mais de 70 municípios da Região Sul, Campanha, Litoral e Grande Porto Alegre, a antiga CEEE-D foi leiloada em março de 2021 e o Grupo Equatorial deu início às suas atividades em julho do mesmo ano.

Segundo a CEEE, a agência de atendimento de Pelotas é provisória e foi reaberta após estar um ano e seis meses fechada. A companhia também destacou que a referida unidade "será substituída, no fim de janeiro de 2022, por uma nova agência, maior e que, ao contrário da atual, com oito atendentes, contará com dez posições de atendimento e espaço mais amplo, levando facilidade, comodidade e agilidade aos consumidores".

A empresa também indica que os serviços online seguem funcionando normalmente e podem ser realizados pelo site https://ceee.equatorialenergia.com.br ou pelo telefone 0800 721 2333.

Considerando o avanço da Covid-19 no Estado, quando interpelada se a situação mudaria a forma de atendimento presencial, a CEEE informou que "respeitará todas as regras definidas pelos governos estaduais, municipais e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quanto a eventuais necessidades de manutenção do atendimento presencial e/ou restrições".

Dúvidas nas contas de janeiro

Leitores procuraram o DP relatando que quando verificaram suas contas com vencimento em janeiro, em vez de se depararem com apenas uma faixa de consumo, foram surpreendidos com três cobranças, cada uma delas com valores diferenciados.

A CEEE explica que parte da situação foi gerada com a redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a energia elétrica no Rio Grande do Sul em 2022. Assim, as faturas dos clientes residenciais estão sendo emitidas com redução de ICMS, de acordo com o PL 242/2020.

Até o ano passado a taxa era de 30%, portanto um dos itens é relativo ao que foi utilizado por cada domicílio até o dia 31 de dezembro. Dali em diante, descrito em um outro tópico, está o consumo de 1º de janeiro até a data na qual a leitura foi efetuada, com o imposto correspondente de 25%.

Há divergências sobre o que representa a terceira linha. Em contato telefônico pelo 0800, a CEEE Equatorial informa que este seria um erro da companhia e que deverá ser corrigido automaticamente na próxima fatura. Já em nota, a CEEE diz que o item "foi criado pelo sistema apenas no demonstrativo de janeiro de 2022 com o intuito de mostrar os valores separados do impacto da alíquota de 25% na Tarifa de Energia (TE) e na Tarifa do Uso do Sistema de Distribuição (TUSD)". Salienta, neste caso, que não impactaria no real valor da energia consumida pelos clientes.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados