Empregos

Edital gera expectativa de retomada no Polo Naval

Empresa chilena Asmar e grupo Ecovix selam acordo para participar de concorrência da Marinha

04 de Julho de 2020 - 13h39 Corrigir A + A -
Vencendo o certame, a perspectiva é que se abram oportunidades de trabalho no Estaleiro (Foto: Moizés Vasconcellos - Infocenter - DP)

Vencendo o certame, a perspectiva é que se abram oportunidades de trabalho no Estaleiro (Foto: Moizés Vasconcellos - Infocenter - DP)

O grupo Ecovix firmou uma parceria com a empresa chilena Asmar. No começo desta semana foi entregue o documento que oficializou a cooperação tecnológica entre as duas organizações. O objetivo é viabilizar uma candidatura em um edital da Marinha do Brasil que visa a construção de um navio de apoio antártico, que auxiliará a nova Estação Comandante Ferraz, reinaugurada em janeiro deste ano.

O navio antártico será produzido de forma inédita no Brasil. Para participar da concorrência, o edital da Marinha brasileira exigiu que as empresas concorrentes tivessem experiência na construção deste tipo de navio polar nos últimos dez anos. Com o objetivo de oficializar sua participação, o grupo Ecovix buscou a empresa chilena, que já está habituada a desenvolver este tipo de embarcação. Pelo fato do sul do Chile ficar mais próximo da Antártida, eles são considerados referências nestas construções. “No mercado nacional, nenhum estaleiro brasileiro tem esta bagagem, nenhum tem esta atestação. Buscamos estes parceiros com bom retrospecto e iniciamos nossa relação com a Asmar, que é uma referência no ramo. A parceria com eles nos dá condições de qualificação para que a gente participe deste processo”, explica o diretor de desenvolvimento de negócios da Ecovix, Luiz Fernando Pugliesi.

A data de contratação para a fabricação do navio ainda não está confirmada. A Marinha postergou o prazo até o dia 15 de julho, o que possibilita que mais empresas se credenciem a concorrer no certame. Concluído este prazo, os detalhes da proposta do navio que a Marinha pretende adquirir serão encaminhados aos participantes do processo. “É uma grande conquista para o Brasil que a gente participe deste edital. Pelo nosso conhecimento de mercado, nós vemos que cinco ou seis empresas, todas estrangeiras, estariam aptas para concorrer. Nós conhecemos a capacidade técnica de cada estaleira e estamos observando aquelas que podem aparecer no edital”, destaca Pugliesi.

O diretor ainda destaca os benefícios para o cotidiano do Polo Naval em Rio Grande. “É a retomada da indústria naval no Polo. É uma área da economia que demora a atingir níveis de competitividade, para que se alcance uma certa maturidade no mercado. A Ecovix tem dez anos. Teve uma trajetória meteórica e cresceu rápido, depois paralisou. Por estes fatores, vemos com muito bons olhos este edital. Não é uma obra de grande envergadura a ponto de mudar o cotidiano da cidade de Rio Grande como o Polo mudou há alguns anos, mas é um investimento estratégico, que certamente vai gerar empregos”.

A parceria é muito bem vista pelo poder público rio-grandino. A confirmação da cooperação das duas empresas é classificada como uma negociação que pode alavancar os investimentos. “Nós achamos ótimo. O prefeito tem esta ideia de que não podemos perder toda esta estrutura que foi construída na cidade. É um estaleiro diferenciado, com características únicas no mundo e que está em boas condições. É bom para o nosso país, para que o Brasil recupere o seu espaço dentro da indústria naval, que acabou perdendo com a desativação do Polo Naval. Esta iniciativa gera empregos e acompanhamos com muito bons olhos estas negociações”, aponta o secretário de Desenvolvimento, Inovação e Turismo, Cláudio Dutra. O vereador Benito Gonçalves, que integra a direção do Sindicato dos Metalúrgicos, também destaca os benefícios da iniciativa. “Traz muitos pontos positivos para a cidade. Gera empregos, são tratativas muito válidas. Eles entram forte neste edital e com a força da Asmar, que é uma empresa reconhecida no mercado internacional. É uma pauta dos trabalhadores e que tem tudo para dar certo”, afirmou.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados