Retorno

Dia de reencontrar amigos e voltar à sala de aula

Na Piratinino de Almeida, no bairro Areal, uma das maiores escolas da rede, quatro turmas de Educação Infantil não têm data certa para começar atividades

17 de Fevereiro de 2020 - 22h11 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Ao longo da semana, 29 mil estudantes regressam aos estudos (Foto: Jô Folha - DP)

Ao longo da semana, 29 mil estudantes regressam aos estudos (Foto: Jô Folha - DP)

A semana começou com boas-vindas aos estudantes da rede municipal de ensino de Pelotas. Momento de reencontro e acolhida para a maioria dos cerca de 29 mil alunos. Hora de adaptação aos pequenos, que passaram a frequentar a escola. As famílias de crianças e adolescentes que, eventualmente, ainda não possuam vaga devem se dirigir à Central de Matrículas para verificar a disponibilidade.

Entre as novidades para o ano letivo de 2020, mais duas instituições adotaram o turno integral. Na Daura Ferreira, na vila Princesa, os 97 estudantes serão recebidos apenas nesta terça-feira (18). Com parte dos professores e funcionários e, inclusive, a equipe diretiva nova, a segunda-feira se dividiu entre recepção e reunião dos profissionais pela manhã e bate-papo com os pais à tarde. Tudo para se prepararem ao trabalho que será desenvolvido das 8h às 17h. "Teremos várias atividades lúdicas, como teatro e dança, já que eles vão passar o dia todo na escola", conta a diretora Priscila de Freitas Pereira. E, justamente para a instituição poder se tornar um espaço mais atrativo, a Daura Ferreira irá ganhar quadra esportiva coberta. A fase é de obras.

Na escola Bruno Chaves, no 9º distrito de Pelotas, as aulas foram retomadas apenas à tarde. A manhã desta segunda-feira também foi reservada a detalhar o planejamento para o turno integral em 2020. Agora, a rede municipal conta com quatro instituições em horário estendido à gurizada. Somam-se à lista, a escola Maria Joaquina, na Zona Rural, e a Escola Mario Meneghetti, no loteamento Getúlio Vargas.

Como ocorreu a escolha?

Dois pontos pesaram para definição de quais instituições seriam as próximas contempladas com o turno integral, em Pelotas: a vulnerabilidade social da comunidade e o espaço físico que permitisse realizar as atividades - explica a diretora de Ensino da Secretaria de Educação e Desporto (Smed), Loreni Peverada Silva. "Nestes casos o lúdico tem que estar ainda mais presente, para que estar o dia inteiro na escola possa significar um processo de prazer aos alunos".

Na Piratinino de Almeida, expectativa por normalização na Educação Infantil

Em uma das maiores instituições da rede, com 1.052 estudantes, a segunda-feira foi sem aulas para quatro turmas de Educação Infantil. Em uma das situações, a criançada precisará aguardar o encaminhamento de substituto para professor que precisou submeter-se à cirurgia cardíaca de emergência. "Ainda não sei quando ele terá aula. E não é só Pré, como muitas pessoas pensam", argumenta a mãe de Luiz Francisco, de cinco anos de idade, Marcela Nobre, 24. "Eles não estão aqui só pra brincar. É o início da formação dele", complementa a jovem.

Outras duas turmas de Pré 1 e Pré 2 aguardam os desdobramentos de negociação entre Smed e 5ª Coordenadoria Regional de Educação (5ª CRE), para que uma sala da Escola Estadual Lélia Romanelli Olmos possa ser - mais uma vez - cedida ao município e abrigar as atividades. "Estamos aguardando resposta da Secretaria. Não temos equipe nem material", explica a diretora geral, Daiani Borges.

O secretário de Educação e Desporto, Artur Corrêa, garante que apenas questões burocráticas ainda não permitiram a assinatura do contrato entre as duas esferas de governo. "Espero que nos próximos dias possamos estar com a situação normalizada". Pessoal e material estariam assegurados - sustenta Corrêa.

Simp prepara-se para roteiro

Integrantes do Sindicato dos Municipários de Pelotas (Simp) passarão a circular pelas 90 escolas da rede, para verificar condições de trabalho e ouvir reivindicações dos servidores. A presidente da entidade, Tatiane Rodrigues, destaca que uma das maiores preocupações se refere ao número de estudantes por sala na Educação Infantil. "Temos que ficar atentos a salas superlotadas, que levem à degradação da qualidade por falta de estrutura física que não corresponda ao que a nossa categoria e os alunos necessitam e merecem".

Procure a Central de Matrículas

Endereço: rua Andrade Neves, 2.276
Horário de atendimento: das 8h30min às 17h, sem fechar ao meio-dia
Detalhe: na quarta-feira, o expediente é interno


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados