Saneamento

Corsan apresenta PPP do Saneamento na Câmara dos Deputados

A PPP da Região Metropolitana, conforme Barbuti, irá beneficiar 1,5 milhão de habitantes de nove municípios

09 de Outubro de 2019 - 19h45 Corrigir A + A -
A PPP da Região Metropolitana, conforme Barbuti, irá beneficiar 1,5 milhão de habitantes de nove municípios

A PPP da Região Metropolitana, conforme Barbuti, irá beneficiar 1,5 milhão de habitantes de nove municípios

O diretor-presidente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), Roberto Barbuti, apresentou na Câmara dos Deputados a parceria público-privada (PPP) que visa universalizar a coleta e o tratamento de esgoto na Região Metropolitana de Porto Alegre. A explanação ocorreu nesta terça-feira (8) durante a audiência pública Experiências na modelagem e execução de subdelegação e parcerias público-privadas na área do saneamento, realizada na Comissão Especial do Projeto de Lei (PL) 3261/19, que atualiza o marco do saneamento básico.

A Comissão Especial tem o objetivo de proferir parecer ao PL nº 3261, de 2019, do Senado Federal, que atualiza o marco legal do saneamento básico e altera a Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007 (Lei do Saneamento Básico).

O dirigente iniciou sua fala saudando o trabalho da Comissão Especial. “O setor de saneamento precisa avançar, aumentando a sua capacidade de entrega à população. O grande déficit de investimentos torna necessária a composição de parcerias com o setor privado. A legislação que está em discussão vai ao encontro do interesse comum de que, com o devido cuidado que o tema exige, o setor se torne mais atrativo a investimentos privados”.

Barbuti contextualizou a atuação da Corsan no cenário do saneamento do Rio Grande do Sul, apresentando o panorama de atendimento da companhia e a situação contratual dos municípios atendidos. Ao abordar os baixos índices em esgotos sanitários, destacou a meta de ampliação dos serviços nessa área: “A estratégia da Corsan para acelerar o sistema de esgotamento sanitário é adequar a solução técnica e econômica mais viável para cada situação, utilizando sistemas de separador absoluto, misto e individual”.

A PPP da Região Metropolitana, conforme o presidente, irá beneficiar 1,5 milhão de habitantes de nove municípios, elevando a cobertura média de 32% para 87% em até 11 anos. O gestor detalhou o arranjo de expansão do projeto, que prevê investimentos totais de R$ 2,23 bilhões – entre R$ 370 milhões em execução pela Companhia e R$ 1,86 bilhão em investimentos estimados por parte da Sociedade de Propósito Específico a ser constituída pelo parceiro privado. De acordo com Barbuti, estão no planejamento da Corsan o lançamento de até sete novas PPPs e a abertura de capital. 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados