Solidariedade

Corrente beija-flor faz mutirão de cobertores

A previsão de uma massa polar de grandes proporções fez com que voluntários organizassem uma força-tarefa para arrecadar cobertores

26 de Julho de 2021 - 19h14 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Com a meta de alcançar 200 peças até sexta-feira, os voluntários estão se mobilizando em diferentes frentes para reunir um grande número de cobertas (Foto: Divulgação - DP)

Com a meta de alcançar 200 peças até sexta-feira, os voluntários estão se mobilizando em diferentes frentes para reunir um grande número de cobertas (Foto: Divulgação - DP)

Quem tem frio, tem pressa, por isso a Corrente Beija-flor deu início a um mutirão para arrecadação de cobertores antes da chegada da frente fria. Com a meta de alcançar 200 peças até sexta-feira(30), os voluntários estão se mobilizando em diferentes frentes para reunir um grande número de cobertas e com isso minimizar o sofrimento das famílias mais necessitadas. Segundo as previsões meteorológicas, uma massa de ar frio de origem polar de grande intensidade chega esta semana, com potencial de eventos de frio extremo. “Já não bastasse a fome, um evento climático desse nível agrava ainda mais a situação de vulnerabilidade que muitas pessoas estão passando”, destaca Gisele Rodrigues, uma das voluntárias do projeto. Ela coordena as entregas da Beija-flor na comunidade do Navegantes, onde o trabalho é desenvolvido em parceria com a ESM Mickey.

A mesma percepção tem a voluntária Elisângela Radmann, braço dos beija-flores no bairro Getúlio Vargas. “Nos últimos meses percebemos um aumento muito grande nos pedidos emergenciais, e com o inverno a necessidade de agasalhos e cobertores é ainda mais urgente”, complementa. As doações podem ser entregues no Ponto beija-flor, na Rua Anchieta, 1007. Quem preferir colaborar através de transferência, o valor de um cobertor custa R$ 20,00 e as transferências podem ser feitas pelo PIX (CPF: 62090976004 em nome de Gisele Mendes Miura).

Histórico

O movimento é formado por um grupo de profissionais voluntários e nasceu em abril do ano passado, quando a pandemia dava sinais de que as consequências sociais seriam impactantes. Segundo Elis Radmann, que atua na coordenação do movimento, o propósito inicial era de dar apoio às famílias que se viram sem qualquer recurso para manter as necessidades mais básicas em função da pandemia. “Desde então percebemos que o número de pessoas nessa situação só aumenta e com o inverno, além da fome, o agravamento do frio traz consequências ainda mais desafiadoras”, observa. A força-tarefa de “beija-flores” atua em diferentes frentes, desde administrativa, logística e comunicação e tem o apoio institucional da OAB Pelotas. Faz a captação de doações e atua na sensibilização de apoiadores. Para acompanhar o trabalho basta acessar as mídias sociais através do Facebook/correntebeijaflor ou do Instagram: @correntebeijaflor.

Serviço

Mutirão de cobertores da Corrente Beija-flor

Como participar?

  • Entregando as doações na Rua Anchieta, 1.007 – Centro –Pelotas/RS (Ponto Beija-flor).
  • Doando através do pelo PIX (CPF: 62090976004) Gisele Mendes Miura).
  • Um cobertor = R$ 20,00

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados