Coronavírus

CoronaVac é distribuída e aplicada em Pelotas

Hospitais, Unidades Básicas de Saúde e ILPIs já aplicaram doses nesta quarta-feira

20 de Janeiro de 2021 - 18h24 Corrigir A + A -
150 doses da vacina foram aplicadas nesta quarta-feira (20) no HE (Foto: Carlos Queiroz - DP)

150 doses da vacina foram aplicadas nesta quarta-feira (20) no HE (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Thiago foi o primeiro trabalhador do HE a receber a dose da CoronaVac (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Thiago foi o primeiro trabalhador do HE a receber a dose da CoronaVac (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Laura (E) recebeu a dose da colega Liliana (D) (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Laura (E) recebeu a dose da colega Liliana (D) (Foto: Carlos Queiroz - DP)

É um frasco pequeno, de apenas 5 mL. Quase não dá para ler o que está escrito nele. Chegando bem perto, porém, estão nomes. Laura. Thiago. Liliana. Neusa. Nomes de quem há um ano entrega a vida para que menos vidas sejam perdidas. Coragem não falta. Mas ela agora é ainda maior. Nesta quarta-feira (20), após o ato simbólico da terça-feira (19), os primeiros pelotenses foram vacinados contra a Covid-19.

Hospital Escola (HE), Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP), Beneficiência Portuguesa, Santa Casa de Misericórdia e determinadas unidades básicas de saúde (UBS), como o Pestano e aquelas que funcionam na colônia, já iniciaram a vacinação aos profissionais. A imunização também já teve início para idosos e trabalhadores das Instituições de Longa Permanência de Idosos de Pelotas. De acordo com a prefeitura, o trabalho terá início na quinta-feira na UPA Areal e no Centro Covid.

No Hospital Escola, serão 399 doses individuais distribuídas aos trabalhadores, oriundas da remessa enviada a cidade pelo Governo Federal. Nesta quarta-feira (20), as primeiras 150 foram aplicadas. Conforme divulgado na terça-feira (19), 5.650 doses estão em Pelotas dentro desse processo, com distribuição aos profissionais de saúde e Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI). Elas se somam aquelas destinadas aos participantes da pesquisa da UFPel em parceria com o Insitituto Butantan, em outubro. Na ocasião, metade dos voluntários recebeu a vacina, enquanto a outra tomou placebo. Este segundo grupo, agora, está sendo chamado para a imunização de fato.

O escolhido para tomar a primeira dose no HE foi o enfermeiro Thiago Birdart, cujo trabalho é exatamente tratar dos profissionais da saúde do HE – um gesto até mesmo de gratidão. “Eu cuido de quem cuida. Então exatamente vê-los completamente desestabilizados e impotentes diante do vírus. A vacina vem para trazer a expectativa de que as coisas se resolvam”, afirmou, sorris por de trás da máscara.

Trabalhadora do HE há 26 anos, Liliana Costa não participa da linha de frente do combate a pandemia. Mas fez questão de estar no grupo de enfermeiros escolhidos para aplicar as doses, junto à colega Neusa Goulart, como uma forma de retribuir. “É um marco. Uma emoção muito grande que estou passando após tantos anos de profissão. Escutei o que os meus colegas passaram nesse ano inteiro e quis agradecer. É a vida de volta, pouco a pouco”, comentou.

Liliana aplicou a dose em Laura Pradelli, 17 anos de Hospital Escola. A enfermeira relata que chegou a ficar 7 meses sem ver a mãe, por trabalhar no combate ao vírus. “Nós estamos esgotados e agora temos a esperança de um novo tempo. Ainda que os cuidados sigam sendo extremamente necessários, é um alívio”, diz. Laura relata que o trabalho a fez ficar diante de pesados desafios – além da distânca da família, ela cita o choque de realidade que foi ver os primeiros pacientes sendo internados com sintomas graves, morrendo na sequência.

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados