Cidade limpa

Conscientização começa cedo

Em ação conjunta, UBS Simões Lopes e escolas fazem mutirão de limpeza das ruas

20 de Junho de 2018 - 20h03 Corrigir A + A -
Alunos, professores e funcionários da UBS recolheram mais de vinte sacos de lixo apenas na parte da manhã (Foto: Paulo Rossi - DP)

Alunos, professores e funcionários da UBS recolheram mais de vinte sacos de lixo apenas na parte da manhã (Foto: Paulo Rossi - DP)

Cidade limpa é a que ninguém suja e cidade suja é a que ninguém limpa. E, se o problema de Pelotas parece por vezes crônico e de educação - além de questões mais profundas -, nada mais adequado do que apostar na conscientização de quem está ainda se formando cidadão. Nesta quarta-feira, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Simões Lopes realizou, em parceria com quatro escolas da localidade, uma coleta de lixo feita por estudantes dos ensinos Infantil, Fundamental e Médio. Foi o Dia de Saúde e Educação.

A mobilização se iniciou logo cedo, às 9h, com alunos da EEEF Nossa Senhora Aparecida, da Emei Monteiro Lobato, da Emef Dr. Balbino Mascarenhas e da EEEF Dr. Augusto Simões Lopes. Antes de tudo, eles recebem instruções de como e o que catar - objetos de vidros e seringas, por exemplo, estavam proibidos, enquanto plástico e papel eram o principal alvo. "A gente limpa o entorno das escolas diariamente e percebe que sempre no outro dia já está tudo de novo, às vezes com sofás, geladeiras. Então a ideia é trabalhar pelo bem comum", explica a orientadora educacional Marilda Zielke, da Monteiro Lobato. "A comunidade fica curiosa com a movimentação, então acaba que conscientizamos a comunidade como um todo", completa.

Só durante a manhã mais de 20 sacos de lixo haviam sido coletados pelos 50 alunos que participam da mobilização. À tarde, mais coleta e palestra sobre os dejetos que são descartados pela população. Para a médica da UBS Simões Lopes, Maria Laura Nogueira, para além da cidadania, se buscou a promoção de saúde. "No lixo a gente encontra micro-organismos que causam doenças. Então, quanto menos ele estiver presente, menor o risco para as pessoas. As crianças são o público no qual ainda conseguimos agir, plantar a semente para o futuro", comenta.

A pequena Mariana da Rosa, de dez anos, teve de ser advertida pelas professoras para que cessasse a coleta, pelo menos por um tempo. É que ela gostou de contribuir para o meio ambiente. "Estamos arrumando a rua, limpando a sujeira. Todo mundo devia fazer isso." Está certa a menina de tranças e luvas. Além do trato com o lixo, a ação também arrecadou agasalhos e cobertores que serão distribuídos à população local, através de brechó gratuito instalado na UBS.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados