Saúde pública

Cirurgias eletivas voltam em 2 de maio no Hospital de Caridade de Canguçu

Prioridade neste momento é para as 90 pessoas que estão em fila de espera

15 de Abril de 2019 - 21h28 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Encontro na manhã desta segunda-feira formalizou o retorno dos procedimentos eletivos pelo SUS (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Encontro na manhã desta segunda-feira formalizou o retorno dos procedimentos eletivos pelo SUS (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A doceira Fabiana Portelinha Barcellos saiu do hospital com a data definida para cirurgia: 3 de maio (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A doceira Fabiana Portelinha Barcellos saiu do hospital com a data definida para cirurgia: 3 de maio (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Agora está 100% definido: as cirurgias eletivas do Hospital de Caridade de Canguçu - suspensas desde 2017 - serão retomadas a partir de 2 de maio. A estimativa é de que a lista de espera, hoje de 90 pacientes, possa ser zerada em um prazo de três a quatro meses. São cidadãos, moradores de Canguçu, que não precisarão mais ser encaminhados ao Hospital de Piratini, que permaneceu como referência a esse tipo de atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A semana também começou com mais uma boa notícia à comunidade de toda a Zona Sul: a prefeitura renovou o período de intervenção e permanecerá, pelo menos, até dezembro à frente do hospital, que tem lutado para reorganizar as finanças em meio à grave crise financeira. "Hoje demos mais um passo importante. Agora temos como prioridade a alteração de contrato com o Governo do Estado, para incluir tanto essas cirurgias quanto a prestação de serviços de fisioterapia, que já estamos realizando, ressalta o prefeito Marcus Vinícius Pegoraro (PMDB).

Por enquanto, sem valores complementares nos repasses, as cirurgias eletivas serão oferecidas apenas aos canguçuenses, já que os recursos que irão garantir os procedimentos serão liberados pelo Executivo e pela Câmara de Vereadores. A expectativa, entretanto, é de que as cirurgias possam ser estendidas às populações de Morro Redondo e de Santana da Boa Vista - que já encaminham grávidas ao Hospital de Caridade -, tão logo o serviço seja incluído na contratualização com o Estado ou as prefeituras das duas cidades se comprometam com o repasse de verbas. O mesmo pode ocorrer em tratativas com os governos dos municípios de Turuçu e de Pedras Altas, que já teriam manifestado interesse - afirma Pegoraro.

Data certa e alívio
A satisfação era visível. Depois de aguardar por quase dois anos, a doceira Fabiana Portelinha Barcellos, 45, saiu do hospital, na manhã desta segunda-feira (15), com a data para retornar e eliminar o problema de saúde que a tem feito conviver com desconforto e dores. "Finalmente, vou operar a vesícula. Tô muito feliz", enfatiza, após mostrar exames e passar por reavaliação que a considerou apta ao procedimento. A cirurgia ficou agendada para 3 de maio, às 7h30min.

Saiba mais
A direção do Hospital de Caridade mantém negociações com o Banrisul, com vistas a empréstimo que permita quitar e renegociar ao menos parte das antigas dívidas que chegam a um total de aproximadamente R$ 25 milhões. O valor a ser pleiteado, todavia, permanece indefinido - afirma o gestor administrativo Gabriel Andina.

A fase de estudos também inclui Plano de Custos para analisar a possibilidade de os dez leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), fechados desde agosto de 2016, serem reabertos. Para isso, os repasses de recursos estaduais e federais precisariam estar assegurados, para atender às demandas com materiais, medicações e pagamento da equipe.

Desde o final do ano, quando assumiu o comando do hospital de Canguçu, a prefeitura tem elevado o valor dos repasses. Atualmente, o montante mensal é de cerca de R$ 416 mil. A Câmara de Vereadores também tem se unido ao processo de retomada da instituição. Até o final do ano, o Legislativo irá liberar R$ 40 mil, por mês, para garantir o pagamento da equipe médica envolvida nas cirurgias eletivas pelo SUS.

O novo contrato com o Estado deve ser assinado em breve. A Secretaria Estadual de Saúde não informou a data, mas questionada na tarde desta segunda, informou - via assessoria de Imprensa - que a fase é de finalização do documento. Informações da direção do hospital dão conta de que as pendências do governo gaúcho com a instituição chegariam a cerca de R$ 415 mil.

Relembre
A situação do Hospital de Caridade se agravou nos últimos anos. Decreto de calamidade pública no setor hospitalar, internações restritas a casos de urgência e emergência, salários de funcionários atrasados e greve.
Uma consultoria do hospital Sírio-Libanês e a intervenção da prefeitura imprimiram novo ânimo ao HCC. Hoje o pagamento dos trabalhadores está em dia e, aos poucos, todos os serviços passam a ser retomados.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados