Clima

Chuva de granizo danifica mais de 350 casas em Santa Vitória do Palmar

Prefeito Wellington Bacelos decretou situação de emergência e pede doações de colchões, mantas e cobertores

16 de Setembro de 2019 - 11h20 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Moradores de Santa Vitória do Palmar registraram o tamanho das pedras de gelo. (Foto: Reprodução WhatsApp)

Moradores de Santa Vitória do Palmar registraram o tamanho das pedras de gelo. (Foto: Reprodução WhatsApp)

*Atualizada às 20h37min para acréscimo de informações.

Os cinco minutos de temporal, no final da noite de domingo (15), foram suficientes para danificar mais de 350 casas em Santa Vitória do Palmar, no extremo Sul do Estado. O tamanho das pedras de gelo impressionou os moradores que registraram o fenômeno. O prefeito Wellington Bacelos (MDB) decretou, na tarde desta segunda-feira, situação de emergência. "Temos muitas famílias desalojadas e que agora precisam de ajuda", disse.

O titular da coordenadoria Regional de Proteção de Defesa Civil (Crepdec) Pelotas, tenente-coronel Leonardo Nunes, esteve no município para fazer um levantamento dos estragos. Os bairros Porto, Vila Nova, Mutirão dos Pinhos e Coxilha foram os mais atingidos. "O município já iniciou a distribuição de lonas e o Estado, por meio da Defesa Civil, também faz a entrega do material e de cobertores", assinalou. Até a tarde de segunda foram entregues 150 mil metros do produto, que já está em falta no comércio local.

A pelotense Liza Bilhalva estava hospedada na casa da pescadora Marcia Pereira, no bairro Porto, um dos mais atingidos. A pesquisadora da Furg participa de um estudo junto com pescadoras embarcadas nas lagoas Mirim e dos Patos e presenciou a situação. "Foi muito violento. As pedras danificaram as casas dos pescadores e os carros que estavam na rua tiveram os vidros estilhaçados", contou. O granizo não poupou sequer as embarcações. Liza contou ainda que o fenômeno teve início por volta das 22h e foi muito rápido e intenso. "À meia-noite chegou um caminhão da prefeitura com equipe médica e das secretarias, pois os moradores estavam muito assustados." Pela manhã, a chuva ainda se fazia presente, mesmo assim, alguns moradores resolveram iniciar a recuperação das casas.

Pior momento
O prefeito Bacelo, que acompanhou o atendimento nos bairros, relatou que teve a pior visão dos últimos tempos ao encontrar cinco crianças sobre uma cama, em pânico de ver a casa destruída e pelo barulho da chuva de pedra. "Trabalhamos da meia-noite às 6h com as equipes das secretarias de Obras e de Assistência Social e Cidadania na distribuição de lonas e na realocação das famílias desalojadas." O levantamento dos prejuízos continua, mas Bacelos adiantou que por enquanto não deve ter registro de perdas na lavoura, uma vez que é época de preparação do campo.

Campanha
A prefeitura lançou uma campanha para arrecadar colchões, mantas e cobertores, uma vez que móveis e utensílios das mais de 300 casas atingidas ficaram molhados. As doações podem ser feitas na Secretaria de Assistência Social, na rua Marechal Deodoro, 1.632. O telefone para contato é o (53) 3263-6090.

Previsão do tempo
Uma massa de ar seco se aproxima da fronteira Sul, deixando o tempo firme em Santa Vitória do Palmar a partir desta terça-feira. Segundo a especialista do Centro de Pesquisas e Previsões Meteorológicas da UFPel (CPPMet), Eliane Grala Pereira Alves, a temperatura entra em pequeno declínio, marcando 5ºC de mínima e 16ºC de máxima.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados