Retorno

Castrações pela SOS Animais serão retomadas em breve

Número de castrações realizadas ano passado é pouco para tamanho da cidade; um aditivo foi liberado para os próximos três meses

24 de Janeiro de 2020 - 09h40 Corrigir A + A -
Assim que o valor referente ao adicional for recebido as castrações voltam ao normal  (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Assim que o valor referente ao adicional for recebido as castrações voltam ao normal (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A ONG SOS Animais encerrou 2019 com saldo de 1.380 castrações realizadas. O número é baixo perto dos outros anos, visto que até novembro de 2018 a instituição efetuava 500 procedimentos por mês. No momento, as fichas para as cirurgias gratuitas não estão disponíveis, pois a quantidade liberada para 2019 já foi concluída. No entanto, a prefeitura liberou um aditivo, mantendo assim os procedimento até março.

A diminuição das castrações ocorreu logo após o Executivo anunciar a suspensão temporária dos repasses financeiros à ONG. Meses depois o convênio foi retomado, mas os valores encaminhados ficaram menores. Então, ano passado foi disponibilizado três lotes para cem procedimentos em cada mês, mais três para 160 e os últimos três com 200, totalizando as 1380 esterilizações. Até a última quinta-feira a organização esperava um posicionamento da prefeitura para iniciar oficialmente 2020, então foi avisada sobre a liberação de mais 600 castrações nesse primeiro trimestre. Agora, os membros da ONG estão finalizando as castrações do nono lote - que já estavam agendadas. A presidente da SOS, Helena Aldrighi, garante que assim que receberem o valor referente ao adicional, os materiais já serão comprados e tudo voltará ao normal.

Para a presidente, uma das saídas para tentar suprir a redução das castrações será a parceria com empresas privadas. No momento, a organização já conta com dois empreendimentos que auxiliam a ONG financeiramente. "Toda colaboração será bem-vinda", salientou. A presidente garante que todas as contas são prestadas com as parceiras, gerando uma cooperação transparente. Com as colaborações, o desafio será conseguir alcançar um número razoável de cirurgias, visto que as oferecidas não são suficientes para o tamanho do município. Segundo ela, recém esse ano os resultados de cinco anos de trabalho iriam começar a fazer a diferença nas ruas, mas com a redução não será possível. "Se tornará uma bola de neve difícil de estabilizar", disse. Sobre o aditivo, Helena informa que o lote será divido em três, sendo 200 para cada mês. Desses, 25% será destinado ao Canil Municipal, 60 fichas para a população de baixa renda e o restante para protetoras de diversos bairros da cidade.

Novo contrato
A prefeitura comunicou que o contrato com a ONG está vigente até 5 de abril deste ano. Até esta data o município irá tomar providências para lançar um novo chamamento público, desse modo o serviço não será interrompido. Na mesma ocasião informou sobre a elaboração do aditivo que estabelece os quantitativos - metas - para o exercício de 2020. Então, foi garantido que serão realizadas 600 castrações nestes três meses de vigência, sendo 200 em janeiro, 200 em fevereiro e 200 em março.

Quando as castrações gratuitas forem retomadas, as regras permanecerão as mesmas. Os interessados devem comparecer na sede da ONG, localizada na rua Santos Dumont 574, nas sextas-feiras às 8h30min para retirar uma ficha. A castração só será agendada mediante apresentação do comprovante de renda - máximo de dois salários mínimos - e de residência. E sempre deverá ser respeitado o limite de um animal por solicitação. A auxiliar veterinária, Raissa Piedras informa que mesmo com as gratuitas em situação de espera, a ONG segue realizando cirurgias a baixo custo para toda a população. Essas devem ser agendadas através do telefone (53) 98155.7095 ou diretamente na sede da organização.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados