Coronavírus

Canguçu recorre para reverter bandeira vermelha

Município foi o único da região a contestar classificação dada pelo governo do Estado diante do agravamento do quadro de Covid-19

05 de Julho de 2020 - 17h20 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Prefeito espera que argumentos convençam equipe técnica do Estado para manter cidade com restrições mais brandas (Foto: Divulgação - DP)

Prefeito espera que argumentos convençam equipe técnica do Estado para manter cidade com restrições mais brandas (Foto: Divulgação - DP)

Após a decisão da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) de não recorrer da bandeira vermelha regional anunciada pelo Estado na sexta (3), somente uma cidade optou por contestar individualmente a classificação. Neste domingo (5), o prefeito de Canguçu, Vinicius Pegoraro (MDB), enviou ao Palácio Piratini documentos pedindo revisão.

Com o segundo óbito por Covid-19 registrado no dia 22 de julho, o município foi indicado como risco alto ao entrar no critério estadual que aponta bandeira vermelha a cidades com mortes ou internações nos últimos 14 dias. Contudo, para Pegoraro, a interpretação não estaria correta, justificando a manutenção na bandeira laranja e evitando o fechamento do comércio não essencial.

"O pedido de reconsideração está fundamentado no lapso temporal já transcorrido do último óbito que irá completar 14 dias na segunda, antes mesmo da aplicação da bandeira, e no fato do último paciente internado estar em Canguçu a trabalho", argumenta o prefeito. Para ele, a restrição às atividades econômicas não representaria impacto positivo significativo no controle da doença. "A atividade de comércio, que é a mais atingida, não tem relação com a propagação dos casos. Tanto que apenas 10% dos confirmados estão vinculados a ela.  Além disso, permanecem funcionando outras atividades que estatisticamente estão vinculadas a um maior número de pacientes confirmados para Covid", completa.

São Lourenço do Sul desiste

Após dizer que tinha intenção de também recorrer para que a cidade fosse mantido na bandeira laranja, o prefeito de Rudinei Härter (PDT), de São Lourenço do Sul, recuou. Neste domingo, afirmou à reportagem do Diário Popular que não enviou contestação ao Palácio Piratini.

No sábado, em reunião com demais prefeitos da região, o pedetista havia citado como ponto em favor de um recurso o fato da cidade contar com todos os 31 leitos para coronavírus desocupados.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados