Boletim da Zona Sul

Canguçu: 9ª edição da Feira de Sementes Crioulas e Tecnologias Populares será em outubro

O evento terá exposição de sementes, produtos de agroindústria, artesanato, silvicultura, fitoterápicos, máquinas inventos e equipamentos

12 de Setembro de 2019 - 11h30 Corrigir A + A -
As sementes crioulas são, por definição, variedades desenvolvidas, adaptadas ou produzidas por agricultores familiares ou camponeses, assentados da reforma agrária, quilombolas ou indígenas, com características bem determinadas e reconhecidas pelas respectivas comunidades. (Foto: Divulgação - DP)

As sementes crioulas são, por definição, variedades desenvolvidas, adaptadas ou produzidas por agricultores familiares ou camponeses, assentados da reforma agrária, quilombolas ou indígenas, com características bem determinadas e reconhecidas pelas respectivas comunidades. (Foto: Divulgação - DP)

Confira também:
Santa Vitória do Palmar: Maternidade da Santa Casa passa por reforma
Jaguarão: Prefeitura começa a medição dos terrenos da Vila Mayer

Está programada para ocorrer nos dias 5 e 6 de outubro, a 9ª Feira de Sementes Crioulas e Tecnologias Populares, das 9h às 17h no Ginásio Municipal de Esportes de Canguçu. Entre suas atrações a feira conta com exposição de sementes, produtos de agroindústria, artesanato, silvicultura, fitoterápicos, máquinas inventos e equipamentos.

A importância das sementes crioulas
Também chamadas de sementes tradicionais (sementes da paixão ou sementes da solidariedade), as sementes crioulas são, por definição, variedades desenvolvidas, adaptadas ou produzidas por agricultores familiares ou camponeses, assentados da reforma agrária, quilombolas ou indígenas, com características bem determinadas e reconhecidas pelas respectivas comunidades.

De maneira geral, a semente é a primeira etapa da cadeia alimentar. Por meio de sementes é que se tem origem de praticamente de todos os alimentos (arroz, feijão, milho, hortaliças etc.). As sementes crioulas em especial, foram selecionadas por décadas, passadas de geração em geração e seguem até hoje preservadas por famílias de agricultores, guardiões ou bancos de sementes. Diferentemente das semente utilizadas na agricultura moderna, a semente crioula não passou por nenhuma modificação genética por meio da interferência humana, e isso garante, naturalmente, uma vasta gama de diversidade genética além da identidade da cultura de um povo.

A agricultura familiar tem uma missão e uma virtude muito grande em manter a disponibilidade e a continuidade das sementes crioulas. Além da preservação deste tipo de material, a possibilidade de não depende de nenhuma empresa ou país, é fundamental para garantir a segurança e soberania alimentar dos povos. As sementes crioulas por serem adaptadas aos locais, são mais resistentes e menos dependentes de insumos externos. Apresentam também uma garantia de diversidade de alimentos e contribuem com a biodiversidade dentro dos sistemas de produção. Garantir a biodiversidade é assegurar a sustentabilidade dos sistemas naturais (ecossistemas) e dos sistemas cultivados (agroecossistemas).


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados