Boletim da Zona Sul

Camaquã: 1º Seminário POR ELAS acontecerá em setembro

O título será “Despertando Consciências”, e irá acontecer no auditório da secretaria, onde palestras serão realizadas sobre a violência contra a mulher

14 de Agosto de 2019 - 18h30 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Seminário será realizado pela Rede de Atenção à Mulher (RAM) (Foto: Divulgação - DP)

Seminário será realizado pela Rede de Atenção à Mulher (RAM) (Foto: Divulgação - DP)

 (Foto: Divulgação - DP)

(Foto: Divulgação - DP)

Confira também:
São José do Norte: Executivo adquire ônibus escolar para reforço de frota
Bagé: DAEB realiza extensão de rede de água

A Secretaria Especial da Mulher, do Trabalho e Desenvolvimento Social, estará realizando nos dias 05 e 06 de setembro o 1º Seminário POR ELAS, que está em fase de organização pela Rede de Atenção à Mulher (RAM), que é coordenado pela Psicóloga Laís Bazzo. O título será “Despertando Consciências”, e irá acontecer no auditório da secretaria, onde palestras serão realizadas sobre a violência contra a mulher, além de feiras e mostras que estarão expostas no pátio interno da secretaria.


As inscrições poderão ser feitas pela internet. Na inscrição deverá conter seu nome, telefone, e-mail e a instituição que o interessado representa. Na quinta-feira (05/09), após a abertura oficial que será às 8h30min, haverá a palestra “Um sorriso a cada luta”, com Bárbara Penna. Na parte da tarde, será realizada palestra da psicóloga Ivete Vargas, com o tema “O ciclo da violência: da agressão verbal ao Feminicídio”. Já na parte final do dia, a Delegada Regional Carla Kuhn, irá palestrar sobre os “Desafios e perspectivas para a proteção integral da mulher”.


A sexta-feira começa com uma mesa redonda, onde será discutido o tema “Conquistando espaços: O que isto muda?”, com a participação da prefeita de Cristal , Fábia Richter; da vereadora de Dom Feliciano Ana Cláudia Lesnik, presidente da OAB, Roberta Magalhães; delegada de polícia, Vivian Sander Duarte; diretora do SENAC, Denise Sefrin; promotora de Justiça, Fabiane Rios e Maria Eunice Silva, diretora administrativa do Hospital Nossa Senhora Aparecida.


Na parte da tarde, o assunto principal será “Uma mudança de paradigmas: Família e escola na construção de relações de paz”, com a participação de Juliana Menezes, Marlete Reiznautt, Rose Matzembacher, Kaone Holz e Mayana de Oliveira. Dentro da programação haverá depoimentos sobre os temas debatidos.

Ciclo da violência
A violência contra a mulher funciona como um sistema circular que apresenta, em geral, três fases.
- Aumento de tensão: As injúrias e ameaças feitas pelo agressor criam uma sensação de perigo na vítima.
- Ataque violento: O agressor maltrata fortemente a vítima, fisicamente e/ou psicologicamente.
- Lua de mel: O agressor envolve a vítima de carinho, desculpando-se e prometendo mudar.

Serviços prestados pela RAM
A Rede de Atenção à Mulher, oferta para as mulheres camaquenses grupo de apoio psicossocial, orientação jurídica, escuta humanizada, e escuta humanizada na Delegacia de Polícia através da Sala das Margaridas.

O que fazer em caso de violência contra a mulher
- Ligue 180 para denunciar
- Registre boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia
- Em situação de perigo, ligue para o número 190
- Procure a RAM – Rede de Atenção à Mulher ou o CREAS – Centro de Referência Especializada em Assistência Social.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados