Coronavírus

Brasil pede à Índia garantia de insumos farmacêuticos

Presidente Jair Bolsonaro quer que o país mantenha o envio de produtos para fabricação de hidroxicloroquina

04 de Abril de 2020 - 18h40 Corrigir A + A -

Agência Brasil

Apesar da falta de comprovação científica da eficácia contra o covid-19, Bolsonaro tem apostado na hidroxicloroquina (Foto: Marcello Casal Jr. - Agência Brasil)

Apesar da falta de comprovação científica da eficácia contra o covid-19, Bolsonaro tem apostado na hidroxicloroquina (Foto: Marcello Casal Jr. - Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro pediu neste sábado (4), ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, o apoio do governo indiano para que o Brasil continue recebendo os produtos farmacêuticos necessários à produção da hidroxicloroquina.

Indicada para o tratamento e prevenção da malária e de outras doenças, como o lúpus, a hidroxicloroquina vem sendo testada em pacientes com o novo coronavírus em vários países, inclusive no Brasil.

Importante produtora de insumos para remédios e principal fornecedora mundial de medicamentos genéricos, a Índia restringiu a exportação de ingredientes farmacêuticos em meio à crise que motivou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a decretar pandemia.

“Neste sábado, em contato com o primeiro-ministro da Índia, solicitei apoio na continuidade do fornecimento de insumos farmacêuticos para a produção da hidroxicloroquina”, escreveu o presidente no seu perfil pessoal no twitter. “Não mediremos esforços para salvar vidas”, acrescentou.

Também no Twitter, o primeiro-ministro indiano afirmou ter tido uma "conversa produtiva" com Bolsonaro sobre "como Índia e Brasil podem unir forças contra a pandemia de covid-19". Modi também revelou que, mais cedo, conversou por telefone com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. "Tivemos uma boa discussão e concordamos que Índia e Estados Unidos devem unir suas forças para combater à covid-19." 

Na semana passada, o governo federal zerou o imposto de importação cobrado de medicamentos como a cloroquina – e seu derivado, a hidroxicloroquina - e a azitromicina para uso exclusivo em hospitais, em casos de pacientes em estado crítico, com o objetivo de facilitar o combate da doença.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados