Atrasou

Atrasos cancelam castrações gratuitas

Situação foi normalizada no final da tarde desta quinta-feira

12 de Julho de 2018 - 19h23 Corrigir A + A -
Parceria já rendeu mais de 15 mil procedimentos cirúrgicos em cães e gatos semi domiciliados ou em situação de rua. (Foto: Infocenter DP)

Parceria já rendeu mais de 15 mil procedimentos cirúrgicos em cães e gatos semi domiciliados ou em situação de rua. (Foto: Infocenter DP)

As castrações gratuitas realizadas pela ONG SOS Animais ficaram paralisadas por pelo menos três dias durante esta semana em função do atraso de repasses da Secretaria Municipal da Saúde de Pelotas (SMS). O termo de colaboração com a organização foi renovado em abril deste ano prevendo o pagamento de R$45 mil a cada 500 castrações. Nesta nova parceria, a organização informa já ter realizado quase 1,5 mil procedimentos e até o final da tarde desta quinta-feira, nenhum recurso havia sido depositado para a entidade. O pagamento, informou a SMS, foi normalizado no final do dia.  

Nos quatro anos iniciais do acordo, entre 2014 e 2017 foram castrados em torno de 15 mil bichos semi domiciliados ou em situação de rua. Os repasses são condicionados ao atendimento das metas estabelecidas no plano de trabalho. Por um acordo entre a organização e a secretaria, o valor seria repassado a cada 500 castrações - meta mensal do termo. No entanto, somente no final da tarde desta quinta-feira e com mobilização de protetores nas redes sociais, o caso foi resolvido e o serviço deve ter normalizado nesta sexta-feira.

A direção da SOS Animais estima que 150 castrações não foram realizadas durante a paralisação. Segundo Helena Aldrighi, o principal efeito é a falta de materiais para a realização dos procedimentos, além do pagamento dos profissionais envolvidos. Um estudo realizado para a parceria chegou a valor de R$90 por cirurgia, estipulando a prioridade de castrações de fêmeas. "Fica complicado pela falta de material, microchips, medicamentos, serviço das veterinárias. Não é fácil organizar uma estrutura para tantos procedimentos por dia", lamenta Helena. A presidente da organização conta as dificuldades recorrentes enfrentadas para o repasse, sendo necessário todo mês ligar e cobrar diversas vezes e sem respostas claras do poder público municipal.

Cada lote de castrações são 500 procedimentos, enviados através de relatórios pela organização ao município. Outro problema enfrentado foi desmarcar as 150 cirurgias marcadas nestes três dias. "A gente não tem reclamações da parceria, que lutamos muito pra conseguir. Mas é desgastante todo mês precisar ficar indo atrás do pagamento, ligando pra um, ligando pra outro, e cada um dando uma resposta diferente", disse a diretora.

Questionados sobre o atraso, o diretor executivo da pasta, João Rosinha informou que o pagamento seria realizado ainda na tarde desta quinta. Rosinha confirmou o depósito no final do dia, mas não justificou os atrasos. A parceria vai até abril de 2019 e poderá ser prorrogada por mais 12 meses.

Composição do custo de cada castração
Anestésicos - R$11,00

Assepsia - R$4,00

Materiais descartáveis (lâmina de bisturi, seringas, agulhas, luvas, etc) - R$9,50

Esterilização de materiais - R$2,00

Fios de sutura - R$10,00

Mão de obra especializada - R$33,50

Medicamentos antibióticos e anti-inflamatórios - R$1,00

Microchip - R$19,00


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados