Tragédia

Atiradores invadem escola, matam oito pessoas e depois se suicidam

Caso ocorreu em colégio estadual em Suzano, na grande São Paulo

13 de Março de 2019 - 11h54 Corrigir A + A -

Agência Brasil

Atualizada Às 13h37min para acréscimo de informações

Atentado na Escola  Estadual Raul Brasil, no Jardim Imperador, em Suzano, na Grande São Paulo deixou dez mortos, incluindo os dois atiradores que se suicidaram, e dez feridos.  Integrantes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar de São Paulo estão desde a manhã desta quarta-feira (13) no local. Os  atiradores, que segundo o jornal Folha de São Paulo são ex-alunos, invadiram o colégio e efetuaram os disparos. Entre os mortos estão sete alunos, um funcionário do colégio e dois suspeitos de serem os atiradores. Informações preliminares indicam que o caso ocorreu por volta das 9h30min. 

Tiroteio teria ocorrido dentro da Escola Estadual Prof. Raul Brasil, em Suzano (SP)
Fachada da Escola Estadual Professor Raul Brasil (Reprodução)

O comandante-geral da Polícia Militar, Marcelo Salles, informou que os dois jovens autores dos tiros na Escola Estadual Professor Raul Brasil nesta manhã usaram um revólver calibre 38 e uma arma medieval semelhante a um arco e flecha.

O governador de São Paulo, João Doria, cancelou toda sua agenda para acompanhar de perto a tragédia na Escola Estadual Raul Brasil. Ele está acompanhado do secretário de Educação, Rossieli Soares da Silva, e do secretario de Segurança Pública, General João Camilo Pires de Campos.

“Assim que foi informado que havia alunos feridos dentro da Escola Estadual Raul Brasil cancelou toda sua agenda e se dirigiu ao local para acompanhar o trabalho de resgate e atendimento aos feridos”, informou a assessoria. O governador solicitou ainda apoio imediato a todas as vítimas e famílias, o que implica em apoio psicossocial, psicólogos, alimentação e ambulância. Segundo a assessoria do governo, a prefeitura de Suzano também vai receber apoio material para amparar as famílias. As ações relativas ao sepultamento serão amparadas pelo governo e pela prefeitura. Foi decretado luto de três dias. 

Consternação
O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse prestou solidaridade às famílias das vítimas, via Twitter. "É com perplexidade que recebi, a notícia do tiroteio no colégio estadual Raul Brasil, em Suzano-SP. Eu me solidarizo às famílias das vítimas e espero que as reais causas dessa tragédia sejam descobertas."

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), usou também as redes sociais para dizer que o momento é de união. "A tragédia de Suzano, hoje, mostra que é hora de o Brasil unir forças e competências para compreender o que houve e impedir a repetição de massacres como este. Precisamos ser solidários com as famílias, parentes e amigos das crianças e dos funcionários da escola Raul Brasil."


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados