Danos materiais

Árvore cai sobre prédio da APL

Fato aconteceu na madrugada de sexta para sábado e trouxe prejuízo avaliado em R$ 3,5 mil ao Centro Comunitário, com desabamento de telhas e rombos no teto

09 de Julho de 2018 - 19h52 Corrigir A + A -
Árvore desabou e levou junto telhas da APL (Foto: Jô Folha - DP)

Árvore desabou e levou junto telhas da APL (Foto: Jô Folha - DP)

Prédio da década de 1920 necessita de constantes reparos (Foto: Jô Folha - DP)

Prédio da década de 1920 necessita de constantes reparos (Foto: Jô Folha - DP)

APL está localizada na esquina das ruas Andrade Neves e Doutor Amarante, dentro do Dom Antônio Zattera (Foto: Jô Folha - DP)

APL está localizada na esquina das ruas Andrade Neves e Doutor Amarante, dentro do Dom Antônio Zattera (Foto: Jô Folha - DP)

A chuva que caiu em Pelotas neste fim de semana trouxe prejuízos à Academia Pelotense de Letras (APL). Na madrugada de sexta (6) para sábado, uma árvore do parque Dom Antônio Zattera caiu sobre o telhado da sede do Centro Comunitário. Com o impacto, muitas telhas foram quebradas e se abriram dois rombos no teto. A água invadiu o interior e danificou móveis e livros. Um levantamento inicial feito pela presidente da APL, Zenia de Leon, estima em R$ 3,5 mil os danos causados.

De acordo com Zenia, o medo de queda de galhos faz parte do dia a dia da APL. Seguidas reclamações foram feitas à Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA) nos últimos dois anos. É constante a queda de galhos que acabam danificando a estrutura do imóvel, localizado na esquina das ruas Andrade Neves e Doutor Amarante, dentro do parque.

Podas são realizadas frequentemente, mas na avaliação de Zenia, insuficientes para impedir os estragos. "Estamos falando de árvores plantadas pela prefeitura há mais de um século. Seguidamente pedimos à secretaria a retirada das que apresentam risco. O que nós vimos no local é uma árvore totalmente podre. O medo é que outras possam desabar também", destaca.

Essa é a primeira vez que uma árvore inteira desaba sobre a casa. O titular da SQA, Felipe Perez, justifica que a secretaria realiza avaliações regulares em todas as praças e parques de Pelotas. "Com a chuva o solo umedece e os ventos contribuem para que algumas árvores, mais velhas, fiquem mais suscetíveis à queda", avalia.

O secretário acredita que novos problemas nesse sentido não venham a acontecer, mas que uma avaliação será feita no local assim que parar a chuva, provavelmente nesta terça-feira. Na APL, a rotina desde sábado tem sido na reparação dos danos. Segundo Zênia, o prédio antigo, da década de 1920, vem sofrendo constantes reformas - no teto e nas paredes. Agora, este novo prejuízo traz ainda mais dificuldades ao Centro.

Uma reunião ocorreu na prefeitura na manhã desta segunda para tratar de auxílio do poder público na reparação do prédio, com pedido de telhas e madeiras. Segundo o vice-prefeito Idemar Barz, que participou do encontro, não é possível a doação de telhas, mas a prefeitura está bem encaminhada para conseguir o madeiramento. Sobre verbas, Idemar afirma que a prefeitura não dispõe no momento. Portanto, todo o custo deve ficar com a APL.

Ainda de acordo com o vice-prefeito, um laudo foi encaminhado junto à SQA sobre a queda da árvore e até a terça-feira a Secretaria de Serviços Urbanos deve retirar o tronco e os galhos, que estão ao lado do prédio da APL.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados