Análise

Aposentados e estudantes são as ocupações mais afetadas pela Covid-19

Índice de pessoas sem informar ocupação reduziu desde a última análise

03 de Maio de 2021 - 15h55 Corrigir A + A -
A análise considera dados coletados pela Vigilância Epidemiológica da (SMS) até o dia 29 de abril. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A análise considera dados coletados pela Vigilância Epidemiológica da (SMS) até o dia 29 de abril. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O novo levantamento da ocupação profissional do público infectado pelo coronavírus indica que mais pessoas têm informado sua profissão durante a testagem nos serviços de saúde – 19,88% dos casos não haviam informado a profissão na semana passada e agora representam 12,4%.

A análise considera dados coletados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) até o dia 29 de abril, e também mostra que os aposentados agora são o grupo mais atingido pela doença (15,6% dos registros), seguido pelos estudantes e pelos profissionais de saúde, que são 12% e 8,2% dos casos, respectivamente, em um total de 32.364 positivados em Pelotas, até a data analisada.

Na sequência, as profissões mais atingidas pelo vírus são comerciários/atendentes (7,3% dos casos), do lar (5,8% das infecções) e empresários (3,3% dos confirmados). A análise é feita pelo Observatório de Segurança Pública, com o objetivo de analisar o avanço da doença no município.

Confira as atividades em que pessoas foram infectadas:

Aposentado/pensionista - 15,6% (5.036 casos)
Não informado - 12,4% (4.014 casos)
Estudante - 12,0% (3.894 casos)
Profissional da saúde - 8,2% (2.666 casos)
Comerciário(a)/atendente - 7,3% (2.367 casos)
Do lar - 5,8% (1.871 casos)
Administrador(a)/ empresário(a) - 3,3% (1.057 casos)
Profissional do transporte - 3,2% (1.038 casos)
Desempregado(a) - 2,5% (808 casos)
Profissional da educação - 2,4% (764 casos)
Profissional da segurança - 2,2% (697 casos)
Construção civil - 2,1% (674 casos)
Serviços administrativos - 2,0% (647 casos)
Prestador de serviços - 2,0% (640 casos)
Profissional do ramo alimentício - 1,8% (593 casos)
Criança sem idade escolar - 1,7% (564 casos)
Empregada doméstica - 1,5% (480 casos)
Autônomo(a) - 1,4% (459 casos)
Profissional da indústria - 1,1% (367 casos)
Servidor público - 1,1% (367 casos)
Profissional da estética - 1,1% (361 casos)

Outras profissões
Além das profissões mencionadas acima, aqueles que exercem atividades ligadas ao meio rural, advogados, engenheiros mecânicos, cuidadores de idosos, diaristas, porteiros, eletricistas, corretores de imóveis, bancários, profissionais do transporte, da comunicação e da tecnologia, farmacêuticos, dentistas, contadores, costureiras, pintores, psicólogos/psiquiatras, veterinários, técnicos de telecomunicações e de informática, nutricionistas, babas, pescadores, músicos, jardineiros, líderes religiosos, profissionais portuários, fotógrafos, economistas, biólogos, pesquisadores, servidores públicos do Poder Legislativo e engenharia geológica representam menos de 1% dos casos, cada um.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados