Saúde

Alerta no IFSul

Um mal-estar de alunos e servidores fez a instituição suspender as aulas; a principal suspeita, por enquanto, recai sobre a água do campus

21 de Outubro de 2019 - 21h28 Corrigir A + A -
Direção do Campus Pelotas afirmou ter solicitado em caráter de urgência junto ao Sanep e ao laboratório de química da instituição uma análise da água (Foto: Jô Folha - DP)

Direção do Campus Pelotas afirmou ter solicitado em caráter de urgência junto ao Sanep e ao laboratório de química da instituição uma análise da água (Foto: Jô Folha - DP)

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul) Campus Pelotas anunciou nesta segunda-feira (21) a suspensão das aulas e das atividades administrativas por dois dias. A paralisação, prevista para se encerrar às 23h desta terça, tem caráter preventivo e está associada a uma suspeita de contaminação da água do local. A associação veio após alunos e servidores do Instituto apresentarem mal-estar, com vômito e dor de cabeça. Ainda na segunda, uma equipe do Sanep foi até o local para realizar a coleta de amostras, já encaminhadas aos laboratórios da entidade educacional e também ao da autarquia.

Após a suspeita, o próprio IFSul, ao avaliar as caixas d'água, estranhou a coloração e o odor em alguns dos 22 reservatórios disponíveis no instituto. A partir desta checagem, a direção do Campus Pelotas afirmou ter solicitado em caráter de urgência junto ao Sanep e ao laboratório de química da instituição uma análise da água e, em caráter emergencial, para prevenir, paralisou as atividades. A avaliação compreende um estudo físico, bacteriológico e químico das substâncias.

Na tarde desta segunda-feira, fiscais do Sanep realizaram um levantamento de todos os reservatórios no campus, além do próprio ponto de entrega de água do Sanep junto à instituição, e coletaram material para análise. A expectativa da direção do IFSul era que o laudo fosse emitido na tarde desta terça, mas o Sanep confirmou para quarta. Segundo o diretor-geral do IFSul Campus Pelotas, Carlos Jesus Corrêa, as atividades seguirão paralisadas enquanto não for divulgado um laudo por parte do Sanep.

O diretor-presidente do Sanep, Alexandre Garcia, ressaltou que o problema se restringe ao âmbito interno do IFSul. Afirmou não existir registros em outros pontos da cidade. Garcia frisa que semanalmente a autarquia monitora 70 pontos na cidade, justamente para verificar a qualidade da água. Ele lembra ainda que de hora em hora há também um monitoramento nas estações de tratamento para garantir a potabilidade da água.

Limpeza de reservatórios

A legislação define que são necessárias duas avaliações anuais, que consistem em esvaziamento, limpeza e checagem da água que será disponibilizada para quem frequenta o espaço. Semestralmente, o IFSul realiza esta avaliação. De acordo com o Corrêa, a análise do segundo semestre foi realizada há pouco mais de três meses por uma empresa terceirizada, contratada especialmente para este serviço. Além das 22 caixas d'água, a empresa realizou o procedimento nos outros cinco pontos de captação presentes no educandário. O laudo emitido não apontou irregularidades. A água estava em boas condições.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados